29 de setembro de 2016

Miguel, Gabriel e Rafael, os Santos Arcanjos de Deus
Eles são como príncipes entre os Anjos, estão a frente de um exercito deles pelo mundo inteiro fazendo o bem, cada um com uma linda missão que o Senhor designou, sempre para nos ajudar a sermos mais santos, são nossos amigos do Céu. Só fazem o que Deus pede, o que Ele quer, por isso suas ações por nós são cheias de amor e bondade. Podemos contar com eles, pedir a sua intercessão, que nos cuidem e zelem por nós. Mas… Qual a missão de cada um? Você sabe? A gente encontra essa resposta na Bíblia…


Miguel, que vem do hebráico “Quem é como Deus?!”
É o guardião da fé…
Quando Lúcifer, que antes era um anjo, cego pelo orgulho, quis igualar-se a Deus, Miguel exclamou com voz trovejante:“Quem é igual a Deus?” E acompanhado pelos anjos fiéis, precipitou do alto dos céus a tropa rebelde dos apóstatas que deixaram de ser anjos para ser demônios. Assim, Miguel se tornou o general do incontável exército dos Santos Anjos… Uau!!! É o protetor do povo de Israel e da Igreja Católica.

Gabriel significa “Poder de Deus”.
É o arauto, aquele que anuncia, os mistérios divinos…
Gabriel anunciou ao profeta Daniel, a época em que o Filho de Deus se faria homem, o Cristo. Depois prediz ao sacerdote Zacarias, no templo, o nascimento de João Batista. E à Virgem Maria, a maior de todas as coisas, anunciou que ela seria a mãe de Jesus: “Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres!”.

Rafael significa “cura de Deus”.
É aquele que leva no nome e em sua presença o poder curativo do amor de Deus… Rafael dá-se a conhecer a Tobias: “Quando oráveis, vós e Sara, vossa nora, ou apresentava o memorial de vossas orações diante do santo; e quando sepultáveis os mortos, estava presente junto de vós. Quando não vos recusáveis a levantar-vos da mesa e deixar vosso jantar para amortalhardes um morto, o bem que praticáveis não permanecia oculto; pois eu estava convosco. E porque éreis agradáveis a Deus, foi necessário que fosseis provados. Agora, porém, Deus enviou-me para curar-vos, a vós e a Sara, esposa de vosso Filho. Sou Rafael, um dos sete anjos que apresentam as orações dos santos, e que podem defrontar a majestade do Santíssimo!”
São Rafael acompanhou Tobias por todo o caminho, o protegendo e conduzindo, a pedido de seu pai. Podemos pedir a ele a sua proteção para nossos filhos, fazendo da oração de Tobit, a nossa:
Querido Arcanjo São Rafael, por favor, acompanhe e proteja meu filho (a)…
“Vou com ele. Não tenha medo. Iremos e voltaremos sãos e salvos. O caminho é seguro… Que o Deus do céu proteja vocês e os traga sãos e salvos. Que seu anjo os acompanhe com sua proteção, meu filho.”(Tobias 5, 17)
Eu faço essa oração todas as noites pelos meu filhos, para que o Senhor os cure de todo medo e São Rafael os acompanhe à escola e em todos os lugares onde eu não posso estar com eles… Eu não, mas Deus sim! Deus pode tudo… Quem como Deus?!
Agora que já conhece um pouquinho desses nossos Amigos do Céu, que tal colorir meu desenho dos Santos Arcanjos de Deus? É só clicar no desenho para ampliar e imprimir…


Fonte:Blog Amigos do Céu

27º Domingo Comum – Ano C

“A fé nos fortalece no serviço a Deus e somos chamados a viver a fé e a missão em nosso dia a dia.”

– Missa com criança da semana: O grão de mostarda
– Evangelho: Lc 17,5-10
A fé nos fortalece no serviço a Deus
A fé é um dom de Deus. É o Senhor que nos fortalece para caminharmos confiantes em sua presença e a seu serviço em nossa vida pessoal e comunitária. Neste mês das missões, recordemos os missionários e missionárias que anunciam o evangelho em diferentes realidades e nos conscientizemos de que todos somos chamados a viver a fé e a missão em nosso dia a dia.
Acolhida –
Boa noite, queridas crianças. Boa noite a todos aqui presentes. Sejam todos muito bem vindos a esta celebração.
Vocês conhecem a semente da mostarda? É essa aqui, olhem. Ela é pequena ou grande? Será que se eu plantá-la, ela ficará pequena assim? Claro que não, ela vai germinar e quando crescer tornará uma grande árvore daquele tamanho lá. Olhem só. Pra vocês verem como tudo cresce
O grão de mostarda é o símbolo da certeza do Reino de Deus. Quando a semente é enterrada, passa um dia, passam dois, três dias e parece que nada acontece, parece que tudo acabou. Se porventura você abrir a terra vai encontrar a semente apodrecida, vai pensar: “acabou mesmo.” Mas o que você não sabe é que para que brote nova vida é preciso que essa semente seja enterrada e que apodreça e então, de onde parece que não há mais esperança, brota uma nova planta com nova vida, para produzir muitos frutos. O Senhor Jesus morreu na cruz do Calvário. E quando Ele morreu o encardido, bicho ruim deu a maior gargalhada do mundo. Pensou que tinha vencido: “Morreu, eu O matei!” Mas no terceiro dia, Jesus ressuscitou e estabeleceu para sempre o Seu Reino.
Isso é fé, é acreditar que além dessa pequena semente temos a possibilidade de sermos grandes árvores frondosas na fé.. esperando que Jesus colha os frutos do nosso acreditar .
E sabem o que é que faz nossa fé crescer?É o amor, a dedicação que fazem a fé crescer, assim também como a semente de mostarda, que precisou de todos os cuidados para se tornar forte.
A celebração nos ajuda a manter nossa fé cada vez mais viva, mais ardente em Deus. Por isso precisamos nos alimentar sempre de sua palavra, pra nossa sementinha da fé crescer sempre mais. Vamos então ficar em pé e cantar com alegria para iniciarmos nossa celebração.
Ato penitencial
 (Vamos representar na casinha com as mãos negras do pecado e as mãos boas de Deus que pega a semente e a transforma em folhas firmes)
– Olhem só quantas sementes eu tenho aqui… Aqui também eu tenho dois tipos de terra.  Essa terra é fértil da palavra de Deus, já essa aqui é fértil também, mas é da terra do pecado.
Vamos plantar essas sementes nesses vasinhos e ver no que elas brotarão?
Essa é a semente do amor, vamos plantar no vaso de Deus.
Nossa!!! Que beleza. Está nascendo uma planta forte vigorosa, cheia de vida. Essa planta com certeza dará bons frutos.
Agora vamos plantar a mesma semente do amor no vaso do pecado?
Credo, vejam só o que o pecado fez com o amor. Ele secou o amor, porque essa terra é feita de ódio, de tristeza, de infelicidade. Alguém, aqui quer plantar sua semente nessa terra do pecado? Então, cuidado, hein crianças, porque o caminho que leva a uma, leva a outra e, é até mais fácil, achar o caminho do pecado.
Vamos plantar essa semente da fé no vaso de Deus, que beleza, gente! Ficou linda, linda. Veja como cresceu forte, viçosa, voltada pro céu, voltada pra Deus.
Agora vamos plantar a mesma semente da fé no vaso do pecado.
(Esperar ir dizendo que ela não nasce)
“Gente do céu”! ’ Vejam só, a terra do pecado enforcou a fé, abafou com seu desânimo, sua preguiça, sua má-vontade.
Tem alguém ai com esses sintomas, enterrando sua semente no canteiro errado?Fazendo em vez de sua fé crescer que ela desapareça?
Viram só, crianças, é assim que acontece conosco. Quando nascemos Deus nos oferece muitas boas sementes… Ele também nos dá a terra fértil, contudo o mal também querendo imitar a Deus, porque como vocês o sabem é muito invejoso, nos oferece uma terra podre, cheia de pecados e maldades e, muitas vezes, plantamos nossa semente naquele vaso que parece ser mais rápido, mais vantajoso e plantamos mal, não colhendo nada na vida.
Portanto, pelas vezes em que erramos plantando nossa boa semente no vaso do mal, peçamos perdão cantando.
Leitura – Agora, todos sentadinhos, vamos ouvir nossa leitura de hoje. Como sempre Deus quer nos alimentar e suas palavras são estímulos para crescermos na fé. Vamos ouvi-lo com muita atenção.
Aclamação – Agora, queridas crianças, Jesus irá nos contar a história do grão de mostarda, porque aos apóstolos queriam saber dele como é que podiam aumentar a sua fé, bom que Jesus também nos disse da possibilidade de servir com alegria, pois se assim fizermos seremos como bons servos fazendo o que devíamos fazer sempre. Mas antes vamos nos alegrar ainda mais cantando o canto de aclamação.
Evangelho-
Preces da comunidade-
Apresentemos, com fé e esperança, as nossas preces ao Senhor:
L.Senhor, ajudai a vossa Igreja a ser lugar de vivência
da fé e testemunha da vossa misericórdia, através de sua missão no mundo, nós vos pedimos:
T. Atendei, Senhor, a prece do vosso povo!
L.Senhor, fortalecei os missionários e missionárias em sua vocação de levar vosso Reino, Palavra e presença a todos, nós vos pedimos:
T. Atendei, Senhor, a prece do vosso povo!
L.Senhor, despertai em nossa sociedade a urgência da luta pela defesa da vida, especialmente dos nascituros, tantas vezes vitimados pela atual cultura da morte, nós vos pedimos:
T. Atendei, Senhor, a prece do vosso povo!
L.Senhor, olhai com bondade para as vítimas da degradação sócioambiental, os que sofrem violências, abusos e exploração, e inspirai gestos de caridade e solidariedade, nós vos pedimos:
T. Atendei, Senhor, a prece do vosso povo!
Ofertório-
Hoje, senhor, aprendemos o valor da pequena semente. Sabemos que alimentada pela fé ela se torna forte, grande, imensa aos seus olhos. Nós, como filhos que somos, queremos hoje ofertar o que temos:
Oferecer-lhe a pequena semente que somos… O desejo de nos deixarmos envolver pelas suas palavras, pela nossa missão. De nos tomarmos grandes diante de nossa missão
Ofertar a terra fértil que somos que se envolverá com suas palavras, seus ensinamentos deixando-se acolher, aquecer e permanecer sempre junto a ela.
Oferecer a água, como limpeza dos nossos pecados. Como saciar a fonte de nosso amor, alimentando a vida com as belezas que nos oferece. e fortalecendo os laços de nossa fé ao alimentá-la .
Oferecer-lhe o calor do sol, como agradecimento a todos os bens que nos dispensa, pelo amor de pai que nos aquece nos momentos em que fraquejamos e sentimos impotentes diante de nossa falta de fé.
Oferecer as lições do jardineiro, que nos conduz a viver plenamente e nos ensina a fazer nossa fé crescer.
Oferecer as ferramentas para manter nossa planta sempre limpa do mal e protegida dos ataques dos inimigos, ferramentas do amor, de ações concretas na comunidade, de orações permanentes…
Oferecer nossos frutos, nosso desejo de alimentar nossos irmãos com a beleza que provém de cada um de nós, com a partilha diária, com o afeto, com a amizade que abraça a vida.
Por fim, senhor, oferecer tudo que somos hoje planta viva do seu amor, compromisso e certeza de levar adiante tudo que o senhor espera de cada um de nós. Receba junto ao pão e ao vinho a certeza de cada etapa da nossa vida de boa semente. Amém
Ação de graças – Queridas crianças, prestem bem atenção no que Jesus hoje quer de nós, ainda mais um dia de eleições como o de hoje, onde fizemos nossas escolhas em nome do amor e do crescimento de toda uma nação.
(Colocar imagens no data show pra ilustrar a reflexão, se possível colocar também a mensagem).
Jesus está dizendo que se você quiser participar do Reino de Deus tem que andar na contramão desta vida.
Não combina com a filosofia dos homens.
Os homens, para vencer, matam.
Cristo para vencer, morre.
Os homens para se realizarem, pisam, humilham.
Cristo para se realizar, renuncia a Si mesmo.
O reino dos homens é feito de luzes, pompa, luxo, poder e forças militares.
O Reino de Deus é como a semente de mostarda, pequena, desprezada, rejeitada.
Você quer participar do Reino de Deus? Tem que pedir a Deus que mude sua maneira de pensar.
Tem que estar disposto a ser enterrado como o grão de mostarda para renascer, para quebrar a crosta da terra e ressurgir para uma nova vida.
Você quer participar do Reino de Deus?
Não tenha medo quando as pessoas rirem de você, fizer pouco caso ou o ridicularizarem por causa de sua fé.
Não tenha vergonha quando o humilharem, quando você, às vezes, tiver que perder o emprego por causa dos princípios que conhece, quando você tiver que ser honesto em meio a um mundo corrupto.
Não tenha medo porque o Reino de Deus sempre andará na contramão da vida.
( ALEJANDRO BULLÓN)

Historinha para o teatro da semana:

A sementinha corajosa

Técnica: Biombo com representações de flores confeccionadas a partir da idéia de cada personagem.
Personagens: Narrador – Professor Pé-de-Couve – Rosinha – Jiló – Feijão – Girassol – Trigo
Era uma vez 5 sementinhas. Muito diferentes entre si, mas com uma mesma missão: a de um dia cair no chão e de semente germinar, crescer, florescer e dar frutos e ver de seus frutos novas sementes surgirem.
Essa era a missão de uma semente!
Todos os dias, elas tinham lindas lições dadas pelo professor Pé-de-Couve, que lhes ensinava o momento certo de que tudo isso aconteceria.
Professor Pé-de-Couve: – Vamos meninas! Vamos nos acomodar! Bom dia, Girasséia!
Girassol: – Bom dia, Professor Pé-de-Couve!
Professor Pé-de-Couve: – Bom dia, Rosinha!
Rosinha: – Ih! Hoje eu num tô boa! Sou só espinhos!
Professor Pé-de-Couve: – Bom dia, Feijãozinho!
Feijão: – Oi, professor!
Professor Pé-de-Couve: – Bom dia, Jilózinho!
Jiló: – Bom dia, professor! O Senhor hoje tá tão elegante!
Professor Pé-de-Couve: – Bom dia, Triguinho!
Trigo: – Olá, Professor! Bom dia!
Professor Pé-de-Couve – Olhem, queridas sementinhas, a hora está chegando… Daqui a pouco tempo todas vocês estarão prontinhas para enfrentar o chão, a boa terrinha. Já trazem com vocês, os meus ensinamentos… Já entendem o porquê de sua missão.
Rosinha: – Não é bem assim não, Professor Pé-de-Couve! Eu ainda não sei bem por que devo morrer?!
Professor Pé-de-Couve – Mas já disse, Rosinha. A sua missão é essa. Se um grão cai na terra e não morre, ele é só um grão e nada mais… Mas se o grão cai na terra e morre, então ele produzirá frutos.
Girassol: – Mas e se eu não quiser virar frutos?
Professor Pé-de-Couve – Então, Girasséia, não vale a pena ser semente, pois esta é a sua função. Quem se agarra à vida, corre o risco de perdê-la.
Triguinho: – Mas e se a gente der a vida?
Professor Pé-de-Couve – Aí sim, Triguinho. Aí você a ganha e a conserva para sempre.
Narrador: É, as sementes não pareciam muito conformadas com sua missão… Com o que lhes aguardava.
Girassol: – Eu, uma semente tão linda de girassol. Como posso morrer… Dar a minha vida em benefício dos outros? E eu, não conta? Então eu vou passar a minha vida toda de semente me preparando e esperando que quando for ao chão eu brote? Ah! Eu não quero não! Ah, eu não quero mesmo! Eu tenho medo de enfrentar minha missão… Me falta fé pra isso!
Feijão: – Gente, tô num aperto! Pô, como é que vai ser. Eu não tenho a menor vocação pra ser frutinho. Ah gente, me ajuda. Num tá em mim, sabe! Eu vou contar uma coisa “pro ceis”… Eu sou uma semente maravilhosa, não posso me misturar com essas semelhanças… Eu me amo demais, só a mim, só a mim… Como é que vai ser?
Jiló: – É a coisa tá preta! Como tudo é amargo! Nesse chão, eu não vou entrar não! De jeito nenhum. Mas já sei o que é que eu vou fazer. Vou falar pra todo mundo que eu vou… Vou brotar, florescer… Mas o que eu vou mesmo é fugir, é dar no pé e me esconder pra quando chegar minha hora, eles não me acharem. É, muitas vezes, a gente tem que enganar pra não morrer.
Rosinha: – Cruz e credo! Eu preciso de um plano rápido! Quem sabe me tornar uma semente bem espinhosa. Mas aí, eu ficaria feia… Feia, nunca! Já chega esse chão querendo destruir a minha cútis, tipo pêssego importado. Eu, uma semente fina, jamais deixarei que esse fétido chão me… Me… Deforme… Sou tão vaidosa. Prefiro qualquer coisa… Por ex: um banho de Shopping… Um jantar à velas, do que me enterrar, aí, nesse chão!
Triguinho: – Oba, já estou plontinho! Sei que fácil não é, mas só em pensar nos frutos doces que me tornalei, e em quantas pessoas podelão de mim se selvir, eu fico feliz!
Professor Pé-de-Couve: – Queridas sementes… É chegada a hora!
Todas: – Mas, já!?
Triguinho: – Oba!
Professor Pé-de-Couve: – A terra já está pronta pra doação. Quem quer iniciar sua missão?
Feijão: – Ai, meu Deus! Esqueci o feijão no fogo!
Rosinha: – E eu! Não passei meu “Renil” hoje.
Jiló: – Nossa! Lembrei que me esqueci de lembrar do esquecido. Tenho que ir antes que me esqueça de lembrar.
Girassol: – Virgem Maria! Não trouxe meu casaco de pele. Tenho que buscá-lo.
Trigunho: – Eu estou plonto!
Professor Pé-de-Couve: – Isso filho! A sua hora chegou, e que alegria, você não fugiu de sua missão. Este é o teu momento de glória, porque prova maior não há que dar a vida para que os outros tenham vida.
Triguinho: – Obligado, plofessor e adeus!
Narrador: Nisso Triguinho entrou pelo chão, aquietou-se… Esperou o momento certo. Tudo silenciou… E a sua missão se iniciou.
Do Triguinho fiel, que agora estava adormecido pelo chão, foi surgindo vida nova… Galho novo… Flores… Folhas e frutos. Vejam só, crianças! Frutos… Muitos frutos e olhem! Estão saindo dos frutos novas sementes…
É, crianças… Que bonita a missão do trigo, não fugiu à sua hora, foi fiel a sua missão.
E as outras sementes? O quê aconteceu a elas?
Ah, bom! Elas tiveram medo de sua missão e a hora delas passou… Então se tornaram murchas e sem nenhum valor.
Pois quem se apega a sua vida, perde-a, mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo, irá conservá-la para a vida eterna… Nos diz Jesus!
Viram só, crianças? Muitas vezes, somos como as outras sementes não dando importância para nossa missão, fugindo do que Deus nos confia.
É preciso aprendermos como o trigo a sermos fiéis a Deus e ao que Ele nos preparou.
Compromisso da semana: Rezar pelas pessoas desanimadas na fé e por aquelas que não creem em Deus.
Fonte de pesquisa (preces e leituras) – www.homilia.com.br
Imagem e Compromisso da semana (preces e leituras) – www.paulus.com.br
Fonte: http://www.missacomcriancas.com.br/site/27o-domingo-comum-ano-c/

23 de setembro de 2016

Via Sacra

Na via sacra nós reproduzimos o caminho que Jesus fez desde a condenação ao calvário, temos 15 estações que mostram a Paixão, Morte e  Ressurreição de Jesus.
Ela pode ser feita em qualquer época mas é feita especialmente no tempo da Quaresma.



































Fonte: Blog Canção Nova
SUGESTÃO DE ATIVIDADES PARA O GRUPO DE ORAÇÃO PARA CRIANÇAS


TEMA: Nossa Senhora e Dia das Crianças

REFLEXÃO PARA OS COORDENADORES DO ENCONTRO: Neste mês, dia 12, comemoramos o dia de Nossa Senhora Aparecida e dia das Crianças. Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida é um título dedicado a Maria Santíssima, mãe de Jesus e também nossa Mãezinha. 
Existem duas fontes sobre o achado da imagem, o primeiro deles foi registrado pelo Padre José Alves Vilela em 1743, o segundo pelo Padre João Morais e Aguiar em 1757. Os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves saíram com o intuito de conseguir o melhor pescado que pudessem imaginar. Após muitas tentativas sem êxito, desceram o curso do Rio até chegarem ao porto Itaguaçu. Eles tinham perdido as esperanças, até que João Alves lançou sua rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem sem a cabeça. Em uma nova tentativa apanhou a cabeça da imagem, com todo cuidado eles envolveram a imagem em um lenço. Foi aí que os peixes chegaram em abundância para os três pescadores. Filipe Pedroso manteve a imagem em sua casa por quinze anos, já não eram somente os pescadores que vinham rezar diante da imagem, nesse tempo os vizinhos também se reuniam para orar junto àquela imagem. A família, então, construiu um oratório, que em pouco tempo se mostrou pequeno em relação à multidão que o frequentava. 
Deste então se deu início a devoção daquele povo, e os que oraram diante da imagem alcançaram muitas graças, dessa forma a fama dos milagres de Nossa Senhora se espalhou pelas regiões do Brasil. O vigário de Guaratinguetá construiu uma capela no alto do morro dos Coqueiros, por volta do ano de 1734, somente em 26 de julho de 1745, esta capela foi aberta à visitação pública. Em viagem pelo Vale do Paranaíba, no dia 20 de Abril de 1822, Dom Pedro I e sua comitiva visitaram a capela e a imagem. A construção da primeira igreja, hoje conhecida como Basílica Velha, foi iniciada em 1834 para acomodar os fiéis que aumentavam a cada dia, a igreja foi inaugurada e benzida em 8 de Dezembro de 1888. A Princesa Isabel também visitou a basílica, por duas vezes, na primeira em Dezembro de 1868, quando fez uma promessa e a segunda vez em Novembro de 1888, a Princesa ofertou à santa em pagamento da promessa uma linda coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, juntamente com um manto azul, ricamente adornado, bordado em ouro e pedrarias, símbolos de sua realeza e patronato. 
Em 8 de Setembro de 1904 a imagem foi coroada com a riquíssima coroa doada pela Princesa, a celebração solene foi dirigida por D. José Camargo Barros, com a presença de muitos bispos, do então Presidente da República, do núncio Apostólico e de muita gente. Após a coroação foi concedido ao santuário de Aparecida outros favores: Ofício e missa própria de Nossa Senhora Aparecida e indulgências para os romeiros que fossem em peregrinação ao Santuário. Uma vila foi formada ao redor da Igreja, e em 17 de Dezembro de 1928 a vila tornou-se município, em homenagem a Nossa Senhora nascia o município de Aparecida. No ano de 1929, Nossa Senhora foi proclamada Rainha do Brasil e também a Padroeira Oficial, através de determinação do Papa Pio XI. A Lei n° 6.802 de 30 de Junho de 1980 decretou oficialmente feriado nacional no dia 12 de Outubro, nesta mesma Lei, a República Federativa do Brasil reconhece oficialmente Nossa Senhora Aparecida como Padroeira do Brasil. 
A Basílica Nova de Nossa Senhora Aparecida foi consagrada como o maior santuário do mundo em 1980 pelo Papa João Paulo II, no dia 4 de Julho deste ano foi celebrada uma solene missa revigorando a devoção á Santa Maria, Mãe de Jesus. Em Maio de 2004 João Paulo II concedeu indulgências aos devotos de Nossa Senhora Aparecida, por ocasião das comemorações do centenário da coroação da imagem e proclamação de Nossa Senhora com Padroeira do Brasil, em um concurso nacional foi eleita a Coroa do Centenário. São exemplos de milagres de Nossa Senhora os milagres denominados: Milagre das velas (1°); Cavaleiro e a Marca da Ferradura; A menina cega; O menino no Rio; O homem e a Onça entre outros. Vocês viram que história mais linda de Nossa Senhora? Não dá vontade de sair correndo e contar para as crianças tudo que aprendemos agora? Esse grupinho essa semana tem que ser nota dez, apaixonante, para que as crianças se apaixonem por Nossa Senhora, e que o dia da Nossa Mãezinha possa ser mais comemorado do que o comércio do dia das crianças, as crianças precisam entender que o dia delas é marcado por acontecimento muito maior, o dia de Nossa Senhora.

SUGESTÃO DE LEMBRANCINHA: Como a data pede uma lembrancinha para as crianças, nossa sugestão é que você faça Maria em Papel,  EVA ou Feltro, é muito bonito e simples, basta pegar o molde.

1° Passo: Trazer já pintado e cortado par as crianças só montarem ou deixar as crianças fazerem tudo. Sugestão: Pintar de cor de pele os braços e o rostinho, de marrom o cabelo, amarelo a aurela, de azul o manto e de branco duas partes do corpinho.


Fonte do molde:http://ericacatarina.blogspot.com.br/p/moldes.html

ACOLHIDA e ORAÇÃO INICIAL: Acolher as crianças com muita alegria. Diga a elas que elas foram criadas, por amor, pelo Papai do Céu, e pelo amor de Maria por nós. Rezar a Ave Maria com gestos, pedir para eu as crianças rezem por seus pais e agradeçam a família. Leve algumas flores (pode ser de verdade, de plástico, desenho), entregue uma para cada criança, peça para as crianças rezarem o terço, como se o terço fossem elas, e as bolinhas as flores, assim ofereça a Nossa Senhora cada flor junto com cada Ave-Maria. Nossa!!!! Maria vai ficar radiante de tanta alegria ao ver essa homenagem.

 EFUSÃO: Cante “Mamãe do céu, Papai do céu...” com as crianças e convide o Espírito Santo para participar do encontro e peça para que Ele toque o coração de cada criança presente. Fale sobre a vontade de sermos tocados, transformados por Ele, diga que sozinhos não podemos viver. Incentive que as crianças peçam para que o Espírito Santo se mova em seus corações. 

PREGAÇÃO: Hoje crianças nós vamos falar sobre nossa Mamãe do Céu, ela tem muito amor por nós e quer nos ver feliz. Para essa pregação utilize um pedaço de pano azul, uma imagem de Nossa Senhora com e sem cabeça, uma rede, um barquinho, pequenos peixes de papel, três desenhos de homens (pescadores), um desenho de um altar e um desenho da Basílica Nova. Utilize esses recursos quando acordo que for contar a história a seguir, conte a história de modo contagiante, alegre e bem ilustrado. Pegue o pano azul coloque-o sobre uma superfície lisa, como se fosse a água do Rio, o qual a Imagem de Nossa Senhora foi encontrada. Coloque o barquinho com os três homens dentro do barquinho sobre o tecido e comece contar a história. Havia três pescadores o Domingos Garcia, o Filipe Pedroso e o João Alves, eles saíram para pescar em um rio muito comprido que passava bem perto da casa deles. Eles pretendiam pescar muitos peixes, de todos os tamanhos e espécies, queriam uma pescada como ninguém nunca tinha visto antes. Assim saíram rio adentro em busca do pescado, lançaram no rio a rede pela primeira vez e nada pescaram, jogaram mais uma vez e nada, lançaram de novo e de novo e nada. Até que Filipe sugeriu que eles subissem mais um pouco o rio, assim eles remaram, remaram... Neste novo local lançaram a rede novamente e adivinham o que eles tinham encontrado? Nada, nem folhas eles conseguiam pegar, os três pescadores já estavam ainda desanimados, eles já tinham perdido as esperanças, até que João Alves lançou sua rede nas águas e conseguiram pegar alguma coisa. Alguém sabe o que eles tinham pegado??? Não!? Ah eles pegaram algo muito curioso, não era nenhum tipo de peixe, era o corpo de uma imagem sem a cabeça. Eles ficaram intrigados com aquilo e em uma nova tentativa apanhou a cabeça da imagem. Era a imagem de Nossa Senhora Aparecida, nossa eles ficaram tão felizes, eles queriam uma pescada como ninguém nunca tinha visto antes e o pedido deles foi atendido, ninguém antes tinham pescado Nossa Senhora. Com todo cuidado e carinhos que tinham eles envolveram a imagem em um lenço, neste momento aconteceu um milagre, os peixes apareceram em abundância no rio e pularam no barco dos três pescadores, nesse momento foi só alegria, eles já tinham conseguido uma pescada diferente, depois os peixes pularam no barco dos pescadores, eles ficaram todos agradecidos com a imagem e voltaram para a casa. Quando chegaram em casa eles colaram a imagem, limparam e montaram um altar na casa dos pescadores para a Nossa Senhora. Os três mantiveram a imagem nesse altar por 15 anos e os vizinhos também se reuniam para rezar junto àquela imagem. A família, então, construiu um oratório, que em pouco tempo se mostrou pequeno em relação à multidão que o frequentava, e os que oraram diante da imagem alcançaram muitas graças, dessa forma a fama dos milagres de Nossa Senhora se espalhou pelas regiões do Brasil. Até que foi preciso construir um lugar maior para Nossa Senhora, este lugar recebeu o nome de Basílica Nova de Nossa Senhora Aparecida, que foi consagrada como o maior santuário do mundo. 

LOUVOR: Peça para que cada criança pense em uma qualidade de Maria. A seguir peça para que cada criança fale a qualidade que pensou e peça para que ela reze uma Ave-Maria em agradecimento a essa qualidade. 

ATIVIDADE SUGERIDA: De 05 a 12 anos – Faça em casa massinha caseira de três cores e leve para que as crianças possam montar ou cobrir o desenho de Nossa Senhora Aparecida, elas vão adorar. Para fazer a Massinha você vai precisar de: 4 xícaras de farinha de trigo; 1 xícara de sal; 1 xícara e meia de água; 1 colher de sopa de óleo; corante de alimento de cores diferentes. Como fazer? É muito fácil fazer misture em uma vasilha a farinha, o sal, a água e o óleo. Amasse bem com as mãos até que vire uma massa uniforme. Divida em várias partes e, em cada uma, coloque um corante diferente. Pronto! Agora é deixá-la na geladeira para ela acabar de adquirir a consistência e não juntar baixo. Fonte: Ciência Hoje das Crianças online. (Sugestão de cores: azul claro, marrom e vermelho. Se você não achar o corante poderá utilizar suco em pó para colorir a massa). 

ORAÇÃO FINAL: Finalize na roda, peça para que cada criança reze uma Ave-Maria para que o Papai do Céu abençoe sua família. Reze junto com as crianças o Pai-Nosso e um Glória ao Pai gesticulado. E cante “Mãezinha do céu...”

Fonte: RCC BRASIL

Tempo dos Jogos! Go!

Ola Catequistas!

Como temos visto nos últimos dias o mundo só fala dos Jogos... Jogos Olimpicos e o novo Jogo Pokémon Go, que tantas polemicas tem levantado.

Aqui não quero discutir nenhumas dessas polemicas, mas acho que devemos aproveitar o que o mundo nos oferece e usar na Evangelização. Esta passagem do Evangelho acho que define bem essa situação:
 "Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do mal.  Eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo. Santifica-os pela verdade. A tua palavra é a verdade."
(Jo 17, 15-17)

Vamos então,  aproveitar essa empolgação, e usar ao nosso favor, vamos conscientizar e nos aproximarmos mais de nossos catequizandos com um encontro divertido e atual!

Como sugestão para esse encontro pensei em proporcionar uma Caça aos Anjos.
1. previamente esconda figuras de anjinhos em todo o local que os catequizandos tem acesso e que podem procurar.
2. Cante a musica "Tem Anjos voando" do padre Marcelo
3.  Assim que terminarem, de a eles um cartão  para que escrevam uma oração falando a 
Jesus, que O amam e querem segui-Lo dia após dia. Que Jesus Ajude-os a dizer aos outros amigos que Ele os ama muito, e que morreu por eles, para que eles possam optar por segui-Lo também. 


Cartao * Imprimir, recortar e dobrar ao meio.




Fonte:http://www.catequesenanet.com.br/2016/08/tempo-dos-jogos-go.html 

26º Domingo Comum – Ano C



“O mundo de injustiças e desigualdades em que vivemos entristece o coração de Deus. “

– Missa com criança da semana: O rico e o pobre Lázaro
– Evangelho: Lc 16,19-31
Deus olha com carinho para os esquecidos do mundo
O mundo de injustiças e desigualdades em que vivemos entristece o coração de Deus. Somos chamados a superar toda forma de egoísmo para olhar com amor para os pobres e abandonados e praticar o dom da generosidade e da partilha do que temos e somos. Hoje celebramos o dia da Bíblia, a Palavra que ilumina e conduz nossa caminhada cristã.
Acolhida –
Boa noite, queridas crianças. Boa noite a todos aqui presentes. Sejam todos muito bem vindos a esta celebração.
Hoje nós vamos iniciar nossa celebração resolvendo uma dúvida que eu estou tendo há muito tempo. Sabe qual é? Eu queria saber qual o conceito que vocês fazem do rico e do pobre. Vamos começar pelo rico.
O que é ser rico?(listar no retro) Será que é só quem tem dinheiro? E aquelas pessoas que são boas, também não são ricas na graça de Deus?
O que é ser pobre?(listar no retro) Será que ser pobre é só aquele que pede pão?E aqueles que ferem as pessoas, agentes de violência, independente de dinheiro ou não, também não são pobres?
Viram só como definir o conceito de rico e de pobre é difícil?
Jesus deixa bem claro que ele não condena a riqueza, ele condena o mau uso dela. Ela foi feita pra ser dividida em partes iguais e para todos, mas é o próprio homem quem endeusa o dinheiro em sua vida e põe tudo a perder.
Hoje veremos o exemplo de uma parábola contada por Jesus, que nos ajudará a entender bem a mensagem do evangelho. De pé, vamos cantar com o coração rico em alegria pra nosso Jesus.
Ato penitencial – Como eu disse para vocês, Jesus, hoje, no evangelho, irá nos contar uma bonita parábola de um homem muito rico que era egoísta e sovina e de Lázaro, que era um bom mendigo, que vivia das migalhas que sobrava da mesa do rico. Um dia, os dois morreram. Adivinhem, então, qual dos dois mereceu o céu? Lazaro, pois seu coração era rico para Deus. Vamos então analisar um situação onde os personagens não se parecem com ninguém que a gente conhece, está bem?
Vejam só aqui um caminho muito lindo e plano, nele estamos vendo um ponto de saída e um ponto de chegada e, por ele, vejam só quem passa?
Pelo caminho vai o rico e seu carrão, com todas as mordomias. Joga o lixo pra fora como se tudo no mundo fosse lixo, cada momento se exibe mais e tenta fingir não ver ao seu lado, no retrovisor do mundo se tem alguém precisando de sua ajuda.
À margem do caminho, ou seja, fora dele, caminha o pobre, ele caminha com dificuldade, porque o caminho é bem mais difícil. No caminho do pobre há muitas pedras, muito espinho, muita luta . As migalhas do que come é o que sobra do lixo do rico que ainda é dividido igualmente com aqueles que com ele caminham.
O rico segue sempre à frente, não há risco de dar carona ao pobre, pobre não é amigo. Pobre é sujo. Pra pobre não tem carro, não tem papo.
Enquanto isso, o caminho está mais e mais difícil para o pobre, é buraco demais, dificuldade em andar, pés feridos, mas ele caminha com fé. Tem Deus como guia e sente que um dia isso passará. Acontece que ambos chegam ao final do caminho e, é preciso então, pra se chegar ao céu e receber a recompensa que se pule o abismo. Então o pobre pula pobre é especialista em modalidades de corrida, pulos e caminhadas longas, está escaldado de fazer isso todo dia…   E como tem fé e se fortalecia pelo caminho ele consegue e, o céu é seu prêmio. Ele também contava com a ajuda daqueles que ele ajudou na estrada da vida também. Agora é a vez do rico. Será que ele consegue? Por que não?
Ah. Ele nunca se esforçou. Sempre sentado no banco de algum lugar muito macio, muito chique, dirigindo de lá sua vida e agora, será que tem fé e força suficiente pra pular?
Nossa! Não deu… Ele caiu no abismo, longe do céu.
E nós? Em que parte do caminho estamos? Dentro dele rodeados pelos pecados e bem perto do abismo? Ou será que mesmo com as dificuldades do caminho acreditamos que venceremos?
Por todas às vezes então, senhor, em que caminhamos errados, dirigindo nossa vida somente pra riqueza material, nós te pedimos perdão cantando.
Leitura – Vamos receber a palavra de Deus, que é sementeira de vida nova, ainda de pé
Agora, todos bem sentadinhos, vamos ouvir a nossa bonita leitura de hoje.
Aclamação do Evangelho. Jesus hoje nos contará a história do rico e de Lázaro, e cabe a todos nós ouvir bem essa parábola, crianças, porque ela tem muita sabedoria e nos ensina como devemos buscar o céu aqui mesmo, na terra. Mas antes, vamos cantar, todos de pé, com muita alegria.
 Evangelho –
Preces – S.Ao Deus que cuida de seu povo com um olhar atento aos que mais necessitam, apresentemos nossa oração confante:
L.Senhor, fazei com que a vossa Igreja manifeste no mundo vosso poder através do perdão e da misericórdia, sobretudo aos mais carentes, nós vos pedimos:
T. Senhor, ajudai-nos a escutar a vossa palavra!
L.Senhor, ajudai o vosso povo a escutar os profetas e profetizas de nosso tempo, que manifestam vossa palavra sobretudo no testemunho de vida, mantendo-se íntegros na fé, nós vos pedimos:
T. Senhor, ajudai-nos a escutar a vossa palavra!
L.Senhor, iluminai todos aqueles que, na próxima semana, elegerão os seus representantes para a administração dos saibam escolher tendo por base os critérios apresentados em vossa palavra, nós vos pedimos:
T. Senhor, ajudai-nos a escutar a vossa palavra
Ofertório – Hoje, queridas crianças, queremos oferecer junto ao pão e ao vinho o nosso desejo de ter uma vida mais santa, mais digna, mais humilde, podendo ser pobre em riquezas materiais, mais rico em amor, caridade. Oferecer um coração longe de toda vaidade, do orgulho que nos separa de nosso Deus. Por isso, vamos cantar com alegria nosso canto do ofertório.
Ação de graças – No evangelho de hoje, crianças, Jesus nos contou a história do rico e do pobre Lázaro, talvez, vocês pensem então, que nenhum rico irá ao céu chegar. Não é bem isso!
Jesus quer nos dizer que a avareza não nos leva ao céu… E tem muita gente avarenta pobre demais… E tem os avarentos ricos demais. Mas o que é ser avarento: é o tal chamado de pão duro? É aquele sovina? É aquele egoísta? É tudo isso… É aquele que não sabe dividir, que não tem compaixão para com os irmãos mais sofridos, mais necessitados, entenderam? Então, não precisa ser rico, não precisa ser pobre, o que é preciso é que sejamos bons, caridosos, autênticos. Vamos pedir a nossa mãezinha querida que nos ensine a aprender a ler a bíblia sobre a luz do Espírito Santo, para que ela nos ilumine para sermos exatamente como Deus quer que sejamos e que, quando nos depararmos com o abismo, que ele seja nossa salvação, venha com sua mão e nos leve para seu paraíso. Vamos rezar então a ela?

Historinha para o teatro da semana:

O patinho pobre e o patinho rico

Técnica: Laminas
Numa fazenda muito chique, mais chique mesmo, Dona pata chocou cinco chiques ovinhos. E num dia de muito sol, belo como sãos os dias numa fazenda chique, nasceu cinco lindos e ricos patinhos.
Como eram belos os patos da Dona pata, meu Deus!
Que plumagens mais finas, que beleza de bicos, que maravilha de olhos azuis tinham os patos ricos.
Logo que nasceram passaram a ser a sensação da fazenda. Tinham tantas pajens pra olhá-los que eles jamais precisariam se molhar, ou voar, ou até mesmo andar, pois tinham tudo que queriam no tempo e na hora certa sem nenhum esforço. Por isso que eu digo que ser rico é tudo de bom!
Mas continuando… Apareceu por aquelas bandas um patinho muito feio, (lá da outra história, lembram-se) que além de feio era muito pobre; logo que entrou na fazenda a exclusão foi imediata.
_ Onde já se viu um pobre entre nós, quaqualizava Dona pata. Que ainda dizia:__ Meus filhinhos, não se misturem com essa gentalha. Esse tipo de pato não presta. quaqua qua.
Começaram, então, a bater no patinho pobre, que além de pobre… Feio e, além de feio… Agora estava todo feridento de tanto apanhar dos patos ricos. Era bicada pra todo lado. O pobre do pato se virava como podia. Tornou hábil voador entre os patos, pois precisava sair rápido pra não ser morto lá de perto do poço. Tornou-se exímio nadador, pois todos corriam atrás dele e, logo que caia no lago, nadava o mais rápido que pudesse pra não ser afogado. E tornou-se ótimo corredor, pois senão, pobrezinho, não teria nem mesmo uma pluminha naquele corpinho já todo feridinho.
Ah! Como sofria o patinho pobre.
Na hora de comer era triste ver. Ficavam os ricos de dentro do galinheiro fartando-se do milho e suas guloseimas e, de fora, ficava o pato pobre, sofrendo com suas feridas e esperando que caísse da mesa dos ricos migalhas pra se alimentar.
Ninguém se lembrava dele, ninguém o quis ajudar. Sofria o pobre patinho na soleira, onde os insetos queriam suas feridas pousar. Ele já nem sabia se sofria pelas feridas que doíam tanto, levadas pelas bicadas dos ricos, ou se sofria de fome, pois sentia seu estômago roncar, enquanto na mesa dos ricos todos estavam a esbanjar.
Aconteceu nesse dia… um fato importante… Na comida do rico patinho, da plumagem amarela cor de ouro, algo muito estragado foi a ele dado. Quando o pato rico comeu… uma dor enorme na barriga  ele sentiu . Então jogou a comida pela janela e logo que viu comida lá fora, o pato pobre, morto de fome, voou depressa nela e também a comeu.
Gente do céu! A comida estava toda estragada. Foi fatal. Matou o pato rico, mas morreu o pobre também. (Na morte todo mundo se iguala, morre rico, pobre, feio, bonito, gordo, magro, ninguém escapa)
Foi um dia muito triste na fazenda dos patos ricos. Velaram o corpo do patinho rico e num mausoléu o colocaram. Já o pato pobre, ao morrer sozinho e cheio de dor, teve suas asas levantadas e pro alto ele voou.
Acontece que os dois patos falecidos: o rico e o pobre chegaram ao mesmo lugar, ao mesmo tempo. Era bem assim esse lugar, deixa-me descrever:
Tinha um enorme buraco entre eles e o paraíso. Um abismo sombrio e triste, onde tudo parecia não ter fim. Do outro lado do abismo tinha um paraíso, onde tudo parecia eterno e feliz. Só que pra ir pro paraíso era preciso correr muito depressa até a ponta da pedra e depois num voou perfeito, com asas bem abertas, voar para o paraíso e nadar nas águas claras e azuis do céu.
O pato pobre , logo se armou , tinha forças pra correr, pois havia feito isso a vida toda correndo dos que queriam nele bater. Correu… Correu e num pulo bem alto voou. Voou e o céu ele alcançou. Que maravilha de lugar… Que beleza de águas e com que carinho nosso patinho foi recebido.
Do outro lado do abismo, desesperado, gritava o pato rico:
_ Ouuuuu, gentemmmmmm, quem é que vai me ajudar? Eu não sei correr, pois na vida eu nunca precisei sempre andei de capitiva, toda vida encontrei tudo certo no lugar certo. Como eu não precisei correr, muito menos eu voei, pois não tinha necessidade já que tudo me foi dado. Agora como posso fazer pra voar até ai? Ô patinho pobre lembra-te de mim? Eu fui aquele que menos te bati, num dá pra você me ajudar não, cara. Acode eu aqui, ora. “Ajuda-me ai”, ou!
Mas foi nesse momento que São Pato, que é o porteiro do céu dos patos, chegou e gritou para o patinho rico que ele teve muita mais oportunidades na vida pra tudo aprender, era um pato rico, que não conheceu fome e nem dor e que agora aprendesse a voar porque senão o abismo seria o seu lugar.
O patinho gritou, chorou e berrou que, então, o deixasse voltar para que pudesse aos seus irmãos avisar, assim eles teriam tempo para se preparar.
São Pato muito bravo respondeu:
_ Oô seu pato rico, você aprendeu deste cedo, desde que nasceu o que era de sua natureza: voar… Nadar… Correr. Agora se não o fez é porque não quis, acomodou-se com a riqueza , pensando que nunca a vida boa iria acabar , mas tudo tem fim . Seus irmãos também aprenderam (assim crianças, como a gente aprende aqui na missa como é que faremos pra conseguir o céu, Jesus nos ensina todos os dias) seguindo a história e São Pato continuou dizendo. _Agora se não fizeram é porque não acreditaram que isso era necessário, pois deixem que vivam assim e paguem pelo não que fizeram. Agora, abra as asas, Pato rico e faça sua parte que já passou da hora.
O pato rico, aquele mesmo que em vida nada fez de bom, correu muito mal trocando as patas e, quando chegou à ponta do abismo , como não sabia voar caiu nas suas profundezas e nunca mais se ouviu dele falar.
Viram só crianças, daí o ditado que diz que os patos são os únicos animais completos, pois sabem nadar, voar e andar, mas que por esse pecado de se acharem melhor do que os outros, eles nadam mal, andam mal e voam mal.
E aprendemos que tem gente que também é assim, vivem mal, não doam e amam somente aos bens materiais, por isso não aprendem nada de bom para um dia poderem usar do que aprenderam pra alcançar o céu.
Compromisso da semana: Continuarei no meu compromisso de ler, meditar e viver a Palavra de Deus.
Fonte: http://www.missacomcriancas.com.br/site/26o-domingo-comum-ano-c/