10 de abril de 2017

Viver ressuscitado é saboroso como o chocolate

A Páscoa é uma festa de família, porque viver ressuscitado é saboroso como o chocolate. Que conceito bonito este de que a família é a Igreja doméstica! “Em nossos dias, num mundo que se tornou estranho e até hostil à fé, as famílias cristãs são de importância primordial, como lares de fé viva e irradiante. Por isso, o Concilio Vaticano II chama a família, usando uma antiga expressão, de ‘Eclésia doméstica’. É no seio da família que os pais são ‘para os filhos, pela palavra e pelo exemplo, os primeiros mestres da fé. E favoreçam a vocação própria a cada qual, especialmente a vocação sagrada’” (Catecismo da Igreja Católica, n° 1656).

O lar cristão é o lugar em que os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. Por isso, o lar é chamado, com toda razão, de “Igreja doméstica”, comunidade de graça e oração, escola das virtudes humanas e da caridade cristã (Catecismo da Igreja Católica, n° 1666).
Os pais como transmissores da fé
Os pais são os primeiros a transmitir a fé, os valores cristãos e universais e uma boa educação para os filhos. Pai e mãe são mestres da vida; pela palavra e pelo exemplo, eles nos ensinam coisas que vamos levar para a vida toda, que vão influenciar nossas escolhas e, principalmente, formar a nossa consciência do bem e do mal. Serão os primeiros catequistas, que, muito mais do que ensinar, vão transmitir pela prática, porque os filhos os verão fazendo.
Eu mesmo poderia dizer da minha mãe e da minha avó quando as via rezar o terço diante da imagem de Nossa Senhora: “Era uma santa ouvindo o que a outra santa dizia!”. Meus pais imprimiram em mim muito mais do que traços biológicos e heranças hereditárias, qualidades e defeitos e o desejo de um futuro brilhante. Eles fizeram com que eu experimentasse o amor de Deus e a graça da fé. Quando ainda era criança, sem que eu entendesse, deram-me um banho de Água Viva, que me fez nascer de novo e me enxertou em Cristo Jesus. Dando-me assim o dom da imortalidade e a graça de pertencer a uma família muito grande: a Igreja!
Como explicar para as crianças e os jovens que o mais importante é a festa da vida?
Como explicar para as crianças e os jovens que, na Páscoa, o mais importante é a festa da vida que vence a morte? Que Cristo verdadeiramente foi morto numa cruz e que, por aceitar morrer assim, Ele nos libertou do pecado e nos salvou pela Sua Ressurreição? A Páscoa é uma festa de família, porque viver ressuscitado é saboroso como o chocolate, é cheio de vida como o ovo e é tão fecundo como um casal de coelhinhos. É preciso ter a coragem de celebrar a fé em família e ensinar o verdadeiro sentido de ser cristão.
O sentido dos símbolos pascais
Celebrar a Páscoa é renascer com Cristo ressuscitado, é passar da morte para a vida, é vencer o pecado e a morte. É também celebrar a vida com o sabor de um ovo de chocolate e mostrar ao mundo que o cristão precisa ser como o coelho: fecundo em virtudes, amor e santidade. É arrumar uma ceia e acender uma vela para convidar os amigos e parentes para se iluminarem com a luz de nossa fé. Uma fé que nasce e renasce constantemente no seio de nossas famílias. É ser criativo e pedir ao Espírito Santo que grave em nossos corações a graça e o verdadeiro sentido dos símbolos pascais:
O Círio Pascal: Representa o Cristo Ressuscitado, que deixou o túmulo, radioso e vitorioso. Na vela pascal ficam gravadas as letras Alfa e Ômega, significando que Deus é o princípio e o fim. Os algarismos do ano também ficam gravados no Círio Pascal. Nas casas cristãs, é comum o uso da vela no centro da mesa no almoço de Páscoa.
O ovo, aparentemente morto, é o símbolo da vida que surge repentinamente, destruindo as paredes externas e irrompendo com a vida. Simboliza a Ressurreição.
O Cordeiro: Na Páscoa da antiga aliança, era sacrificado um cordeiro. No Novo Testamento, a vítima pascal é Jesus Cristo, chamado Cordeiro Pascal.
O Coelho: Símbolo da rápida e múltipla fecundidade da Igreja, que está espalhada por toda a parte, reproduzindo fiéis: há um número incalculável de filhos de Deus, frutos da Graça da Ressurreição.
O Trigo e a Uva: Simbolizam o pão e o vinho da Santa Missa e, por seu grande significado com a Trindade Santa, traduzem, por excelência, o símbolo Pascal. Para a ornamentação da mesa de Páscoa, nada mais indicado que um centro feito com uvas e trigo, entre cestas de pães e jarras de vinho.
O peixe é o mais antigo dos símbolos de Cristo. Se Ele é o Grande Peixe, somos os peixinhos d’Ele. Isso quer dizer que devemos sempre viver mergulhados na graça de Cristo e na vida divina, trazidas a nós pela água do batismo, momento em que nascemos espiritualmente, como os peixinhos nascem dentro d’água.
Cristo ressuscitou, ressuscitou verdadeiramente. Aleluia!
FELIZ PÁSCOA!

Padre Luizinho

Padre Luizinho, natural de Feira de Santana (BA), é sacerdote na Comunidade Canção Nova. Ordenado em 22 de dezembro de 2000, cujo lema sacerdotal é “Tudo posso naquele que me dá força”. Twitter: http://@peluizinho

Fonte:http://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/pascoa/viver-ressuscitado-e-saboroso-como-o-chocolate/ 

Domingo da Páscoa – Ano A

“Somos convidados a permanecer unidos a Jesus na fé e no amor, para também ressuscitarmos um dia para a vida eterna.”

– Missa com criança da semana: Páscoa do Senhor
– Evangelho: João 20,1-9
O Senhor ressuscitou, aleluia!
Com muita alegria nos reunimos neste dia de festa para celebrarmos a Páscoa do Senhor. Sua ressurreição é a certeza de que o bem vence o mal e a vida vence a morte. Somos convidados a permanecer unidos a Jesus na fé e no amor, para também ressuscitarmos um dia para a vida eterna.
Acolhida – Queridas crianças, Feliz Páscoa. Queridos pais, amigos da nossa celebração, uma feliz páscoa pra vocês também. Hoje, nessa celebração toda especial, comemoramos a ressurreição de Jesus e acho que tem aqui nessa casinha um amiguinho nosso muito confuso sobre tudo isso, sem entender direito o que é páscoa, vamos ouvi-lo?
Joãozinho – Papai, o que é Páscoa?
Pai – Ora, Páscoa é… Bem… É uma festa religiosa!
Joãozinho – Igual ao Natal?
Pai – É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na.
Páscoa comemora-se a sua ressurreição.
Joãozinho – Ressurreição?
Pai – É, ressurreição. Marta, vem cá!
Mãe – Sim?
Pai – Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu Jornal.
Mãe – Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o Que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele Ressuscitou e subiu  aos céus. Entendeu?
Joãozinho – Mais ou menos… Mamãe, Jesus era um coelho?
Mãe – Que é isso, menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Ricardo, Esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos Domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque no catecismo! Ou senão vou levar ele para o padre Antonio explicar tudinho pra ele Joãozinho – Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?
Mãe – É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
Joãozinho  – O Espírito Santo também é Deus?
Mãe – É sim.
Joãozinho – E Minas Gerais?
Mãe – Sacrilégio!!!
Joãozinho – É por isso que a Ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?
Mãe – Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito. Mas se você perguntar no catecismo a professora explica  tudinho!
Joãozinho – Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
Mãe – Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de Presente ele traz ovinhos.
Joãozinho – Coelho bota ovo?
Mãe – Chega! me deixa  ir fazer o almoço que eu ganho mais!
Joãozinho – Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa.
Pai – Era… era melhor, sim… ou então urubu.
Joãozinho – Papai, Jesus nasceu no dia pai 25 de dezembro, né?
Pai – É.
Joãozinho  – Que dia que ele morreu?
Pai – Isso eu sei: na Sexta-feira Santa.
Joãozinho  – Que dia e que mês?
Pai- (???) Sabe que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na Sexta-feira Santa e ressuscitou três dias depois, no domingo.
Joãozinho – Dois dias depois!
Pai – Não, três dias depois.
Joãozinho – Então morreu na quarta-feira.
Pai – Não, morreu na Sexta-feira Santa… ou terá sido na Quarta-feira de Cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na sexta mesmo e ressuscitou no domingo , no terceiro dia ! Como? Pergunte à sua professora de catecismo!
Joãozinho – Papai, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
Pai – É que hoje é Sábado de Aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do
Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
Joãozinho – O Judas traiu Jesus no sábado?
Pai – Claro que não! Se Jesus morreu na sexta!!!
Joãozinho – Então por que eles não malham o Judas no dia certo?
Pai- Ui…
Joãozinho – Papai, qual era o sobrenome de Jesus?
Pai – Cristo. Jesus Cristo.
Joãozinho – Só?
Pai- Que eu saiba sim, por quê?
Joãozinho – Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não  acha?
Pai – Ai Coitada!
Joãozinho – Coitada de quem?
Pai – Da sua professora de catecismo
Pai – filho, vamos logo. Vou te levar lá na missa das crianças pra gente começar a entender melhor o que venha a ser ressurreição de Cristo
Joãozinho – Oba!!! Então hoje eu vou saber quem é Jesus Cristo ressuscitado.
Comentarista –    Agora,crianças, vamos ensinar para o Joãozinho o que é uma bonita celebração de páscoa todos em pé cantando com muita alegria para receber Jesus vivo , presente entre nós  que entra em procissão .
Ato penitencial –  Crianças , o evangelho irá narrar como  foi que Maria Madalena descobriu que Jesus tinha ressuscitado . Depois dela, vieram os apóstolos, homens simples que puderam sentir junto a ela   o poder de Jesus ressuscitado .Nossa reflexão de hoje se dará nessa base …
Maria Madalena era uma pecadora, mulher do povo que vivia se metendo em confusões, depois que conheceu Jesus mudou totalmente sua vida e passou a segui-lo.
Quantos de nós conhecemos Jesus e continuamos  do mesmo modo? Sem ter compromisso com Ele , sem achar que nosso tempo é dele também , e que não estamos perdendo tempo quando estamos com ele ?
Quantos de nós  fazemos julgamentos precipitados dos   comportamentos dos outros, mas não medimos o nosso? Por que será que Jesus resolveu escolher uma pecadora e não um santo para poder divulgar essa sua ressurreição por toda a terra?  Será que é porque Ele acredita na mudança a ser ainda gerada em cada um de nós? Acredita em nossas atitudes de pedir perdão e nos redimir diante do que fazemos, de fato, errados?
E os discípulos? Por que Jesus escolheu homens simples do povo, homens rudes para assegurar a todo o mundo que Ele ressuscitou?Por que não escolheu aos reis, aos sumos sacerdotes, as pessoas mais letradas?
Acho crianças, que é porque Deus confia nos humildes, dispensa os soberbos e está sempre nos apontando o caminho para estar ao seu lado, o caminho da simplicidade, do perdão e do amor incondicional.
Não dá pra ser ambicioso demais e seguir Jesus, não dá pra ser egoísta demais e seguir Jesus,
Não dá pra ser injusto demais e seguir Jesus
Pois assim não saberemos nunca que Ele ressuscitou.
Por isso, por acreditarmos que somos pecadores, mas temos o grande amor de Deus que nos confia seu perdão e seu abraço de reconciliação, vamos cantar pedindo.
Leitura – Agora, sentadinhos e, em silêncio, vamos ouvir com atenção nossa leitura de hoje. O Pai ressuscitou seu Filho Jesus, Ele está vivo e é o eterno Senhor do céu e da terra.
Livro dos Atos dos Apóstolos:
Naqueles dias, 34aPedro tomou a palavra e disse: 37“Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judéia, a começar pela Galiléia, depois do batismo pregado por João: 38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio; porque Deus estava com ele.
39E nós somos testemunhas de tudo o que Jesus fez na terra dos judeus e em Jerusalém. Eles o mataram, pregando-o numa cruz.
40Mas Deus o ressuscitou no terceiro dia, concedendo-lhe manifestar-se 41não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus havia escolhido: a nós, que comemos e bebemos com Jesus, depois que ressuscitou dos mortos.
42E Jesus nos mandou pregar ao povo e testemunhar que Deus o constituiu Juiz dos vivos e dos mortos.
43Todos os profetas dão testemunho dele: ‘Todo aquele que crê em Jesus recebe, em seu nome, o perdão dos pecados’”.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus!
Aclamação – A ressurreição de Jesus Cristo é o grande mistério da nossa fé, mas antes de ouvi-lo, vamos todos ficar em pé e, cantar com muita alegria, o canto de aclamação.
Evangelho 
PRECES DOS FIÉIS
1. PAI DO CÉU, olhai para nós e fortalecei a vida e a ação de todos os cristãos que lutam em favor da libertação dos sofredores da vida. Confiantes, vos suplicamos:
— Senhor, dai-nos a força da ressurreição de Cristo!
2. SENHOR DA VIDA, dai paz e inspiração divina ao nosso Papa, aos Bispos, aos Sacerdotes e aos Diáconos e Leigos cristãos, para que anunciem ao mundo, com a força da ressurreição, o Evangelho de Cristo. Confiantes, vos suplicamos:
3. DEUS DE AMOR, olhai para todos os povos da terra, principalmente para aqueles que estão lutando para se desenvolver como nação, para que trilhem o caminho da paz e da justiça, e encontrem alento em suas lutas. Confiantes, vos suplicamos:
4. PAI, ESTE É O DIA que o Senhor fez para nós. Que todos nós encontremos a vida, a força da união, o compromisso fraterno e solidário em nossas ações, e sejamos um povo de ressuscitados. Confiantes, vos suplicamos:
5-Deus de amor , olhai com carinho por cada uma de nós ,  crianças, aqui presentes nesta celebração , faça-nos portadoras da vida nova , anunciadoras da salvação a todos os povos , nos te suplicamos
Ofertório – Hoje, Senhor, de uma maneira muito especial,queremos oferecer símbolos conhecidos seus, que através deles iluminaremos ainda mais nossa caminhada confiantes sempre em  seus ensinamentos.
Símbolos da nossa páscoa, símbolos de vida nova que brota com todo o presente vivo de Deus para  Conosco.
Trazemos o círio pascal é a grande vela acesa na Aleluia, simbolizando a luz dos povos, em Cristo e o caminho que todos devemos percorrer com Ele.
Trazemos o cordeiro que simboliza Cristo, sacrificado em favor do seu rebanho; somos nós também que devemos sacrifícios ao nosso Deus, que devemos ser mansos e humildes de coração como Jesus nos ensinou.
Trazemos até o altar o ovo símbolo da vida nova que brota que nós cristãos possamos nos multiplicar em ações concretas junto a Deus e aos irmãos. revelando-nos bons diante do grande amor que Deus nos coloca
Trazemos a cruz, que mistifica todo o significado da Páscoa, na ressurreição e também no sofrimento de Cristo. Não somente um símbolo da Páscoa, mas o símbolo primordial da fé católica que devemos alimentar todos os dias.
Trazermos o girassol flor que está sempre voltada para o sol assim como todos nós, cristãos, devemos estar sempre voltados para o amor do nosso Deus.
Trazemos o coelho, que representa o poder da criação, ele é um animal que reproduz com facilidade, assim também queremos e trabalharemos para que os filhos de Deus possam conhecer os seus ensinamentos e eles o revelem para o mundo todo, nos tornando uma grande família no amor de nosso Deus.
Trazemos também os sinos que tocam anunciando a todos a ressurreição do nosso Jesus, que nossa vida possam sempre ser assim, cheia de alegria ao professar a vida nova para todos e levá-las aqueles que ainda não conhecem o poder de nosso Deus.
Oferecemos também o pão e o vinho, simbolizando a vida eterna, o corpo e o sangue de Jesus, oferecido aos seus discípulos e que todos agora recebemos de nosso Deus.

Comunhão
 – Hoje é um dia de muita festa. A vida nova brotou da morte, de onde só havia tristeza surgiu à luz, por isso vamos cantar, vamos nos alegrar, Jesus ressuscitou.

Ação de graças 
– Há mais de dois mil anos atrás, um homem veio ao mundo disposto a ser o maior exemplo de amor e verdade que a humanidade conheceria:
Sua proposta de vida não foi entendida por muitos e então, condenaram este homem e crucificaram-no, ignorando todos os seus propósitos de um mundo melhor.
Houve dor, angústia e escuridão.
Por três dias, o sol se recusou a brilhar, a lua se negou a iluminar a Terra, até que no terceiro dia algo aconteceu…
Houve a Ressurreição!
A Páscoa existe para nos lembrar deste espetáculo inigualável chamado ressurreição!
Páscoa é…
Ressurreição do sorriso… Ressurreição da alegria de viver…
Ressurreição do amor… Ressurreição da amizade…
Ressurreição da vontade de ser feliz.
Ressurreição dos sonhos, das lembranças e de uma verdade que está acima dos ovos de chocolate e dos coelhinhos.
Cristo morreu, mas ressuscitou e fez isso somente para nos ensinar a matar os nossos piores defeitos e ressuscitar as maiores virtudes sepultadas no íntimo de nossos corações.
Que esta seja a verdade da sua Páscoa!
Feliz Páscoa!!!!

Historinha para o teatro da semana:

Assalto na fábrica de chocolate

Técnica: Dramatização
Personagens: Coelhinhos 1, 2, 3, 4; 5- Narrador; 6- Pé-de-Moleque; 7- Rapadura.
Cenário: uma mesa, algumas panelas bem grandes, caixas e uma grande coelha de pelúcia. (Os bandidos usam linguagem coloquial)
Era uma vez uma fábrica de chocolate onde trabalhavam muitos coelhinhos. E sabe o que eles fabricavam? Um tipo de ovo chamado por todos de Ovo de Páscoa!
Noite e dia… dia e noite sem cessar lá estavam os coelhinhos a trabalhar… Os ovos da verdadeira páscoa que fabricavam eram muito especiais e tinham um segredo guardado a 7 chaves, onde somente quem experimentava é que sabia o efeito que a Páscoa lhe proporcionava:
– 1 – Acho melhor, guardarmos bem esta receita para ela nunca de perder, mas onde será que a colocaremos?
Todos os coelhinhos pensam
– 2 – Ah, já sei! Guarda no coração da grande coelha. Lá ninguém suspeitará e assim poderemos dormir tranqüilamente.
– 3 – Agora sim! Não tem perigo de ninguém roubar a Páscoa da gente!
– 4 – E quem vai vigiar a fábrica?
– 5 – Já sei! Vamos pedir às crianças! Olha aqui as crianças: vocês fiquem de olho na fábrica para ninguém roubar a receita do ovo da verdadeira Páscoa, está certo? Nós vamos dormir, pois trabalhamos bastante por hoje, tá?
(Entram sorrateiramente os assaltantes Pé-de-Moleque e Rapadura)
Mas, vejam só crianças! Quem vem lá se não é a terrível dupla: Pé-de-Moleque e Rapadura!
– Pé-de-Moleque – É Rapadura! Vê se agora você num errou o mapa e a gente não veio parar de novo na casa dos padres! Porque aquele assalto… Benze a Deus! Foi um desastre. Onde já se viu uns bandidos famosos “quiném nóis rouba” uma miséria de cobre da sacolinha dos coroinhas? Também num sei que idéia é essa, roubar padre, desde quando padre tem dinheiro?
– Rapadura – É mesmo, chefinho, “nóis” devia ter roubado é o dinheiro dos santos!
– Pé-de-Moleque – É, seu bocó! E desde quando santo tem dinheiro? Tu não és mais burro por falta de espaço!
– Rapadura – E isso é bom, chefinho?
– Pé-de-Moleque – “Ce” vai vê agora mesmo! Vamos descobrir o que essa tal receita de páscoa tem de tão especial, porque nóis é desempregado e, por causa, disso virou bandido!
– Rapadura – É mesmo, chefinho! “Nóis rouba a “tarl” receita, vende ela pra Nestrê,” e vai ficar rico e aplicar tudo na borsa!
– Pé-de-Moleque – Só se for no borso da calça! Cê num sabe que a tal da bolsa é fria? É um sobe e desce “quinem” escada rolante! Mas, aonde será que tá essa “tarl” de receita?
– Rapadura – Vai vê, chefinho, deve tá na caderneta de receita e se eu soubesse que ocê queria uma eu tinha trago a da vovó!
– Pé-de-Moleque – Cala a boca, Mané! Psiu, vamos procurar sem fazer barulho (tropeçam caem, fazem barulho, um coelho acorda e rapadura dá uma cacetada nele e ele desmaia, chegam a procurar por todos os lugares e nada, até que chegam nos coelhos.)
– Pé-de-Moleque – Algo me diz que o segredo está por aqui. Ah, raramm! Será que é aqui? Aqui? Quem sabe se não é aqui?
 (Rapadura se abraça com a coelha) 
– Pé-de-Moleque – Dá essa coelhona aqui, que ela tá com cara de bandida, de quem comeu a carne e guardou o osso.
– Rapadura – É, dá nela, chefinho, seja esperto!
– Pé-de-Moleque – E aí coelhinho, vai falando, senão “nóis vamo fazê docê” um assado!
– Rapadura – Fala… Fala… Cadê a receita? Cadê?
(Os dois sacodem, puxam, enforcam e a coelha e a tal receita cai… Os ladrões se espantam, choram de emoção, abrem e tentam ler).
– Rapadura – Chefinho, tem um desenho aqui, num tô conseguindo sabê se é um morro de cabeça para baixo ou para cima.
– Pé-de-Moleque – Deixa eu vê seu analfabeto, ignorante isso é um V, mas diz aqui “Páscoa é Vida Nova com Jesus” (soletrado). Mas quê isso? Que receita é essa?
– Rapadura – Num te falei, chefinho que a da minha vó é melhor?
– (todos os coelhinhos já acordados… juntinhos… assustam os bandidos)
– Coelhos – Ah! Ah! Mas o que é isso?
– Pé-de-Moleque – Isso é um assalto! Mãos pro alto! É num treme não viu, que os padre tremeu e eu não consegui levar nadica de nada.
– Rapadura – Nadinha, não! Levou o dinheirinho do padre que fez aniversário, o relógio do outro, a sacolinha de ofertas… Quanta maldade!
– Pé-de-Moleque – Tá com dó? Devolve pra eles!
– Rapadura – Nóis queremos a receita da tal Páscoa, que dizem que todo mundo que experimenta muda de vida…E nóis qué porque nóis vai vendê ela pra arrumá dinheiro, que nóis tá desempregado!
– 2 – Mas a receita está aí! É essa que vocês têm na mão!
– Pé-de-Moleque – Num engana nóis naum, qui nóis é perigoso, mostra pra eles, Rapadura!
(Rapadura faz cara de mau e ensaia uns golpes de karatê rapadura imita tb).
– 4 – Mas estamos dizendo a verdade: o produto que aqui fabricamos é “Vida Nova em Cristo Ressuscitado”.
– Pé-de-Moleque – Mas, cargas d´agua! O que quer dizer isso?
– 3 – Quer dizer que todos nós, dessa fábrica, trabalhamos para que pessoas como vocês possam encontrar Cristo em suas vidas!
– Rapadura – É? Aonde que tá esse Cristo? Nóis vai vendê Ele?
– 1- Cristo não se vende, se conquista…
– 3 – Ele está nas boas ações que praticamos, nos irmãos que amamos, no perdão para aqueles damos para aqueles que erram…
– 5 – Na partilha, na igualdade, na humildade…
– 1 – Em tudo que tem vida em abundância!
– 2 – E todo aquele que experimenta da nossa receita, tem essa comunhão com Ele e muda sua vida…
– Pé-de-Moleque – Quer dizer então que nóis pode ser diferente com a Páscoa?
– 4 – Mas é isso mesmo: Páscoa é a passagem, é conversão…
– 3 – Muitas pessoas, crianças, velhos, adultos, jovens, experimentam dessa mudança a cada dia. Basta querer! Vocês não querem deixar essa condição horrível que estão vivendo, para serem seguidores de Jesus?
– Rapadura – Eu quero!
– Pé-de-Moleque – Sei não!
– Rapadura- Ah! Pé-de-Moleque deixa de ser durão… Com essa vida nova, nóis vai muda de vida, nóis vai sê gente de bem…
– Pé-de-Moleque – Ah! Então tá. Eu topo viver a Páscoa, pode trazer a receita que a partir de agora, nóis tá libertado do pecado, e livre para viver uma vida nova com Jesus.
 (Comem o pão e repartem)
– 5 – Vocês, agora, estão empregados na nossa fábrica e seremos um só povo vivendo realmente a Páscoa de Jesus!
FELIZ PÁSCOA!
Compromisso da semana: Jesus é a ressurreição e a vida. Quem nele crer terá a vida eterna. Vamos levar a alegria da Páscoa a todos que conhecemos, promovendo a paz e a união em nossa casa.
Fonte de pesquisa (preces e leituras) – www.homilia.com.br
Imagem e Compromisso da semana (preces e leituras) – www.paulus.com.br

Fonte: http://www.missacomcriancas.com.br/site/domingo-da-pascoa-ano/

5 de abril de 2017

Letras de músicas








Fonte: https://br.pinterest.com/pin/803400020996756734/
Jogo da Quaresma






Fonte:Blog Tia Paula Limeira

Domingo de Ramos da Paixão do Senhor da Quaresma – Ano A



“Com a liturgia do domingo de Ramos, iniciamos a Semana Santa, tempo forte de oração e de recordação do mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus”

– Missa com criança da semana:  Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor
– Evangelho: Mt 26,14-27,66
Bendito o que vem em nome do Senhor
Nesta celebração, recordamos o dia em que Jesus entrou na cidade de Jerusalém para cumprir sua missão: entregar a vida pela salvação da humanidade. Com a liturgia do domingo de Ramos, iniciamos a Semana Santa, tempo forte de oração e de recordação do mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus. Vamos acompanhá-lo em sua caminhada ao calvário, para podermos ressuscitar com ele para uma vida de alegria, esperança e paz.
Acolhida – Boa noite, queridas crianças. Boa noite a todos aqui presentes. Sejam todos muito bem-vindos a esta celebração.
Vocês sabem o que celebramos durante esta semana?
A semana santa, isso mesmo!
E, hoje, de uma forma toda especial, celebramos o domingo de ramos. O que será que significam esses ramos, hein, crianças?
Ah!! Vou explicar. É que Jesus já era muito conhecido por toda a Palestina e, por onde Ele andava, as pessoas o saudavam da melhor forma possível, querendo que Ele soubesse o quanto era admirado e querido por todos.
Ao entrar na cidade mais importante da Palestina, chamada de Jerusalém, o povo da cidade querendo homenageá-lo, apanharam inúmeros galhos, ramos verdes e começaram a balançar saudando e balançando os ramos, gritando bem forte:
__ Viva ao nosso rei, viva o nosso rei!!!
É… E hoje repetimos o mesmo ritual do povo daquela época, saudamos Jesus com nossos ramos, saudamos Jesus com nossa alegria e com nosso amor. Por isso, vamos ficar de pé e, com entusiasmo, receber a procissão de crianças que vem saudando Jesus com seus raminhos. Vamos todos cantar
Ato penitencial – Agora, crianças, vamos todos nos ajoelhar para realizarmos nosso pedido de perdão.
Hoje é um dia muita reflexão para todos nós..
Estamos diante do Senhor, diante de sua cruz, diante dos pregos que o fizeram ficar presos a ela, estamos diante também da lança que o transpassou… diante da coroa de espinhos que o feriu e diante dos pecados que o crucificaram …
Será que foram nossos pecados que o levaram à cruz?
Será que nosso egoísmo é representado pelos pregos que o prenderem a ela?
Será que essa coroa de espinhos não foi confeccionada pela nossa desobediência, pela nossa falta de fé, pelo nosso orgulho?
E essa lança? É a mesma com que ofendemos tantas pessoas, que atiramos contra a nossa família quando a agredimos e incidimos a violência contra nossos irmãos?
Será que também somos participantes dessa crucificação quando estamos desanimados, quando colocamos nossa fé em dúvida e passamos acreditar no mal, nas drogas, nas bebidas?
Ah, Senhor, perdão.. Perdão, porque muitas vezes, continuamos a crucificá-lo, continuamos a pregá-lo na cruz e bater os pregos dos nossos pecados, sobre suas mãos que sagram pedindo nossa remissão.
Perdão pelas nossas fraquezas, pela nossa falta de vontade de lutar contra o pecado.
Mas, hoje, diante da cruz e, na certeza da ressurreição, que tudo traduz em vida nova, vamos pedir perdão ao Senhor, cantando.
Leitura – Sentadinhos então e fazendo silêncio, vamos ouvir a nossa leitura de hoje. Através dela, Deus nos coloca bem dentro de seu plano de amor e salvação. Ouçamos com muita atenção.
Aclamação – Agora crianças, vocês ouvirão uma parte da história do julgamento, condenação e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, vocês devem prestar bastante atenção na leitura do evangelho e tentar acompanhar através das lâminas as partes dessa narrativa.
Mas antes, vamos ficar em pé e cantar com muita alegria.
Evangelho
Preces 
1. Como Jesus fez de forma exemplar, os que exercem o ministério sacerdotal, unidos aos Bispos e ao Sucessor de São Pedro, em Roma, entreguem suas vidas pelo rebanho. Por isso, vos pedimos:
2. Como o trigo amassado forma o pão, e a uva esmagada produz o vinho, que todos os homens e mulheres sejam capazes de se doarem, para que a vida seja um hino eucarístico, um poema de louvor e reconciliação. Por isso, vos pedimos:
3- Por cada criança presente nessa celebração, para que aprendam a entender o grande mistério do amor divino e transformar todo o mal existente em boas obras para o reino de Deus, rezemos.
Ofertório –(cenas da semana santa)
Jesus fez o maior dos sacrifícios em oferecimento ao amor por seu Pai, pelo nosso Pai e em nome de todos nós.
Agora, acompanhando os passos de Jesus, iremos oferecer ao nosso Deus de Amor as nossas ofertas:
Hoje, domingo de ramos, no verde que eles simbolizam, queremos oferecer nossa esperança de conquistar um mundo mais voltado para a fé, para a partilha, para a alegria de balançar ao vento seus dons a todos nós dignados.

Na segunda feira
 quando Nosso Senhor do Passos começar sua caminhada rumo ao calvário, vamos oferecer ao Senhor a nossa caminhada diária, os nossos sacrifícios, nossas pedras e dores, mas também nosso desejo de continuar caminhando e acompanhado seu filho muito amado.

Na terça feira
, Senhor, quando a mãe de Jesus caminhar para encontrá-lo, vamos oferecer tantos encontros em nossa vida, encontros em família, encontros com os irmãos, encontro diariamente com nossa fé. Nas dores da mãe oferecemos nosso carinho… Nossa ternura… Nosso amparo há tantas mães que sofrem hoje, assim como ela sofreu.

Na quarta-feira
, Senhor, oferecemos diante deste encontro de mãe e filho, o desejo do abraço, do estar junto a eles nesse caminho ao calvário, nossa confiança no seu plano de amor. Unidos nos momentos tristes e também vivendo juntos os momentos felizes

Na quinta 
– feira, Senhor, oferecemos nossa humildade, o desejo de também lavar os pés daqueles que precisam tanto de nós e que também tenhamos a confiança de nos lavar na água pura de nosso batismo renovando nossos votos de filhos de Deus.

Na sexta-feira
 diante de tanta dor, com a morte de seu filho, queremos oferecer nosso compromisso de seguir tudo que Ele nos ensinou, tudo que foi implantado através Dele e nos comprometer com seus ensinamentos, fazendo-os valer a cada instante de nossa jornada.

No sábado, 
Senhor, oferecemos nosso momento de vigília pascal, em oração, rezando também por todos que precisaram de nós e, em agradecimento a todo sacrifício de amor por Jesus derramado.

No domingo
 ofereceremos nossa alegria, nosso renascer pra vida nova, porque acreditamos neste pão que se torna corpo de Jesus e neste vinho que se torna sangue de Jesus. Acreditamos Senhor, que todo sacrifício de vida e morte tem valido a pena, quando vivida à experiência da ressurreição.
Vamos cantar para completar nosso ofertório.
Comunhão – Jesus agora nos chama a fortalecer nosso espírito de coragem para que nesta Semana Santa possamos acompanhá-lo em sua caminhada de dor e possuir a alegria pela vida nova na páscoa que em nós faz morada. Vamos ao seu encontro cantando.
Ação de graças – Que durante a semana possamos estar ainda mais próximos de Nosso Deus, celebrando com Ele todo o seu sacrifício para rememorarmos com alegria a sua páscoa divina . Vamos rezar todos juntos pedindo sempre a intercessão de nossa mãezinha do céu… Ave Maria

Historinha para o teatro da semana:

Ramos

Encenação (entrar um de cada vez, depositar o que trouxe e sair).
Entrar com o pano roxo
Narrador – Naquela época, Jesus entrou em Jerusalém. A multidão deu gritos de alegria: “Hosana, Hosana”. Viva o nosso rei
Poucos dias depois, porém, eles gritaram: “Crucifica-o, crucifica-o, ele é um enganador!!!!”.
Muita gente contribuiu para que Jesus morresse, escribas e sumo sacerdotes. Mesmo os amigos de Jesus ficaram inseguros. Eles temiam perder a sua vida e não sabiam no que acreditar. Quem reconhecia Jesus, podia levar a mesma sorte que ele. Morrer pregado numa cruz.
Colocar um pano roxo no altar
  – (Escriba com o rolo da escritura na mão)
Eu sou uma escriba e sei o que é certo e o que é errado.
Este Jesus está ficando muito perigoso. Ele afirma coisas que não estão escrito dentro do meu rolo da Sagrada Escritura. Vejam!!!
O pior é que tanta gente que acredita nele. Jesus tem que ser eliminado. Jesus tem que ser eliminado já! Só assim vai ter paz aqui de novo.
Colocar o rolo da escritura em cima do pano roxo na frente do altar.
Judas com o saquinho de dinheiro na mão
Eu sou Judas, um discípulo de Jesus. Também não sei o que é que está acontecendo com Jesus. Todos o exalta e querem que seja  o nosso rei.
E ele não quer saber de nada disso. Ele continua atendendo aos pobres e aos doentes.
Aí eu não quero colaborar mais. Eu quero finalmente saber se ele é realmente tão grande e forte como parece. Eu vou entregá-lo, aí vamos saber quem ele é realmente.
Eles me prometeram 30 moedas de prata se eu disser onde ele se encontra.
E eu entreguei-o, quero ver se ele realmente é o filho de Deus.
Colocar o saquinho de dinheiro em cima do pano roxo na frente do altar.
Pedro com a figura de um galo ao seu lado:
Ich bin Petrus.  Por três anos eu vivi ao lado de Jesus.
Eu o amava e respeitava. Nós éramos muito unidos. E agora eles o prenderam. Estou com medo que eles vou me prender também. Antes de o galo cantar amanhã cedo, eu vou dizer que nem o conheço. Vou negá-lo. Vou mentir… Vou me afastar.
Coloca o galo em cima do pano roxo na frente do altar.
Tiago com a mala na mão ():
Eu sou Tiago.
Na verdade, eu também pertenço aos discípulos de Jesus, mas as coisas estão ficando perigosas demais para o meu lado.  Jesus foi detido e levado ao monte das oliveiras… Como um criminoso.  Sorte nossa, que eles não prenderam todos nós também. Estou com medo, acho que vou fugir dessa cidade. Vou chamar todos os outros.Vamos fugir
Colocar a mala em cima do pano roxo na frente do altar.
– Pilatos entra com a cruz
Eu sou Pilatos.
No fundo, eu não tenho nada contra Jesus.
O que é que ele fez de mal?
Pelo que sei Ele só fez bem aos pobres e aos doentes.
Os fariseus só estão com ciúme dele. Inveja pura do seu poder e do seu amor.
Ele não é um criminoso, mas eles querem vê-lo morto. Para mim, tanto faz. Eu não quero criar antipatia minha com o povo. Então, eu vou assinar o julgamento da morte dele. Por isso vou lavar as minhas mãos
Colocar a cruz em pé em cima do pano roxo na frente do altar.
Narrador (Retira o roxo e coloca o pano branco)
Se hoje agíssemos como estes que aqui estiveram, duvidando do grande amor de Jesus, estaríamos acreditando que seu sacrifício foi em vão.
Mas hoje estamos diante da cruz.. Grande estandarte dos cristãos… Porque dela nasceu à luz.. Porque dela nasceu novamente o amor de Jesus em forma de perdão por todos nós. Salve Jesus, o rei de todos nós.
Cantar –(… mas o mundo ainda tem medo de Jesus… que tinha tanto amor).
Compromisso da semana: Participar ativamente das celebrações da Semana Santa na comunidade, ajudando os catequistas na preparação da liturgia.
Fonte de pesquisa (preces e leituras) – www.homilia.com.br
Imagem e Compromisso da semana (preces e leituras) – www.paulus.com.br

Fonte:http://www.missacomcriancas.com.br/site/domingo-de-ramos-da-paixao-do-senhor-da-quaresma-ano/

30 de março de 2017



5º Domingo da Quaresma – Ano A

” Jesus nunca abandona seus amigos. Ele está sempre presente em nossa caminhada, trazendo-nos alegria, esperança e consolação nos momentos difíceis.”

– Missa com criança da semana: Jesus ressuscita Lázaro
– Evangelho: Jo 11,3-7.17.20-27.33b-45
Jesus é a ressurreição e a vida
A liturgia de hoje nos convida a reconhecer que Jesus nunca abandona seus amigos. Ele está sempre presente em nossa caminhada, trazendo-nos alegria, esperança e consolação nos momentos difíceis. Quando acreditamos verdadeiramente em seu poder, coisas maravilhosas acontecem e nossa vida se renova.
Acolhida – Boa noite, queridas crianças. Boa noite a todos aqui presentes. Sejam todos muito bem vindos a esta celebração.
Hoje, de uma forma especial, o evangelho vem nos mostrar o quanto de humano Jesus era. Jesus fala, Jesus prega, Jesus realiza grandes obras e Jesus chora, chora porque sente na carne a dor da perda de alguém que ele amava muito, muito.
Deixa-me explicar isso direito.
É que Jesus era muito amigo de Marta, Maria e Lázaro que eram todos irmãos.
Um dia, Lázaro ficou muito doente e suas irmãs mandaram chamar a Jesus. Só que quando Jesus chegou à casa de Lázaro, ele já estava morto há quatro dias.
Então, Marta, disse a Jesus que se ele estivesse ali antes, seu irmão não teria morrido. E sabem o que foi que Jesus respondeu a ela?Que Ele era a ressurreição e todos que acreditavam nele, jamais morreriam – perguntou se ela assim também acreditava que Ele era o Senhor da vida e da morte.
Ela disse que sim, que Ele era o filho amado de Deus e que tudo podia.
Nesse momento, crianças, Jesus foi até o túmulo de Lázaro. Chegando lá ele teve um gesto muito humano, vendo que seu amigo estava morto, Ele chorou ao vê-lo. (já até fedia, né).
Naquele momento, Jesus elevou seus olhos ao céu e pediu ao Pai que lhe concedesse o pedido, que ele pudesse dar vida novamente a Lázaro, seu grande amigo.
Então crianças, ele mandou que a pedra fosse tirada e gritou para Lázaro.
_Oh, Lázaro, meu amigo. Venha, levante-se e ande.
Vocês podem até não acreditar, crianças. Mas foi isso mesmo que aconteceu. Lázaro que estava morto, através do grande amor de Jesus, ressuscitou, levantou todo atado e andou.
E foi aquela festa para que todos pudessem crer que Deus é o dono da vida e da morte e que através de Jesus, todos nós também um dia ressuscitaremos para a vida eterna. Amém.
De pé, com a alegria do cristão, vamos cantar saudando a Jesus de todos nós.
Ato penitencial –
Falando em mortes e ressurreição… É bom lembrarmos nesta quaresma que já está quase terminando as condições em que precisamos também para ressuscitar, ou seja, dar vida nova ao que é velho.
Quantas coisas erradas temos vivido, hein, crianças? Erros que nos deixam mortos no amor e bem vivos para o pecado…
Muitas vezes estamos vivos demais para o egoísmo, para o orgulho e mortinhos para a bondade, para a partilha.
Quantas não são às vezes, que nos sentimos atados, amarrados demais pra ajudar ao irmão, ou a nossa mãe em suas tarefas, ou vir à missa e, estamos bem vivos para ir à lagoa, pra bater uma bolinha, pra diversão, para falar horas a fio no celular. ficar por um dia na frente do computador…
É muitas também são as vezes que caminhamos como zumbis pelas ruas, nos esquecendo dos caídos, dos necessitados e dos sofridos, mas jamais nos esquecendo e nos mantendo bem vivos para uma boa briga, uma tremenda intriga e umas boas mentiras, prejudicando os outros.
Deixamos muitas vezes de proferir palavras de amor pra gritarmos palavras de dor, de violência, de desordem e ódio.
Não nos importando com os outros vamos matando os bons sentimentos e revivendo sentimentos de morte nos pecados que cometemos, porque o salário do pecado é este, a morte.
__ Ah, Senhor, hoje não queremos provocar morte em ninguém, queremos ser veículos de vida como o Senhor foi para Lázaro e queremos que nos perdoe de nossos pecados nos fazendo reviver para a vida eterna. Por isso, nós te pedimos perdão, cantando.
Leitura – Este é o momento da nossa leitura. É Deus trazendo a luz da vida a todos nós.
Hoje ele nos dá o seu Espírito, que nos conduz a nossa história e nos ilumina pelos caminhos da vida.
Ouçamos atentamente essas bonitas palavras do pai.
Leitura da Profecia de Ezequiel.
12-Assim fala o Senhor Deus:
“Ó meu povo, vou abrir as vossas sepulturas
E conduzir-vos para a terra de Israel;
13e quando eu abrir as vossas sepulturas
E vos fizer sair delas, sabereis que eu sou o Senhor.
14 Porei em vós o meu espírito,
Para que vivais e vos colocarei em vossa terra.
Então sabereis que eu, o Senhor, digo e faço
– oráculo do Senhor”.
– Palavra do Senhor.
T. Graças a Deus.
Aclamação- Agora, crianças, o padre irá contar com detalhes à história que o próprio Jesus vivenciou ao lado de seus amigos. A ressurreição de Lázaro acende ainda mais nossa fé em acreditar na vida nova, mas antes de ouvi-la, vamos ficar todos de pé e cantar com muita alegria.
Preces
1. Ó pai, cumulai a vossa Igreja da mesma fé que levou Santa Marta a acreditar no poder de Jesus e a professar sua fé.
T: Atendei, Senhor, nosso clamor.
2. Ajudai a cada um de nós a crer na ressurreição e a compreender sua dimensão pascal no dia a dia, através da escolha pela vida como nos pede a Campanha da Fraternidade.
3- lembre o Pai de nossas crianças e lance sobre elas a  sua benção , que elas conheçam a sua luz e sempre andem por ela , superando as dificuldades encontradas , na certeza de que o Senhor caminha com cada uma delas .nós te pedimos
4- Pedimos Senhor por todos aqui presentes nessa celebração que trouxeram sua fé para comungar junto aos irmãos , que ela aumente e fortaleça na busca da perfeição diária nos ensinando a seguir seus passos de amor e ressurreição  ,nos te pedimos
Ofertório – Então sabemos que o grande presente de Deus para todos nós é a vida eterna. Hoje Jesus veio nos provar isso.
E nós nos sentimos felizes, pois somos premiados com a vida e uma vida em abundância, que jamais se acaba, pelo contrário, melhora a cada momento em que estamos mais próximos de Deus.
Vamos oferecer ao Pai a chama da vida eterna em que acreditamos… o fogo da vida que jamais cessa em nós.
Vamos oferecer o sal da vida, o tempero de nossos dias, a dosagem de que tudo podemos dar vida nova, novo sabor.
Vamos oferecer o açúcar, representando a doçura com que devemos encarar todos os fatos. Mesmo vivendo de perdas é preciso ser doce para encontrarmos energia para continuarmos vivendo.
Vamos ofertar, água, que nos limpa do pecado e nos ajuda a sermos mais limpos também para a vida. Ela que é a ponte que  nos liga a Deus desde o inicio, desde o batismo.
Vamos oferecer a terra que nos fortalece, que nos debruçamos ao morrer, que dela vem o sustento de nossas vidas e que a ela entregamos nosso corpo , mas cheios de confiança que nossa alma retorna às suas mãos , Senhor .
Vamos oferecer a nossa vida, perfeita ou imperfeita, feita de risos e choros, de perdas e ganhos, de amor e de pecado, mas com muita vontade de acertar, de encontrar o caminho certo.
Junto ao pão e ao vinho, Senhor,seremos a oferta da vida nova que queremos buscar a cada dia.
Vamos todos cantar com muita alegria, o canto do ofertório.
Comunhão – chegou à hora de participarmos da mesa da eucaristia, onde recebemos o pão da vida que é Jesus. Vamos ao seu encontro cantando com muita alegria. Amém.
Ação de graças-  Pedir às crianças  que façam uma bonita oração ao pai, agradecendo o dom da vida, o valor que devemos dar a quem nos dá de presente a ressurreição, a confiança de que jamais estaremos sós na nossa caminhada. Deus ampara a todos nós. Deus nos ama. Deus cuida e nos ajuda a viver cada vez mais felizes ao seu lado.  Que sejamos de fato o que Deus espera de nós.
Falaremos da procissão de ramos que faremos na semana que vem depois da missa, com a bênção na pracinha da matriz. Vamos trazer os ramos e viver esse momento de caminhada com Jesus.

Historinha para o teatro da semana:

A Folhinha Daniel

Técnica: Narração com transparências no retroprojetor
Personagens: Vozes diferenciadas para os personagens: 1– Narrador; 2– Daniel;
3– Filó; 4– Mena; 5– Gui; 6– Lhermina
Narrador – Hoje nosso evangelho fala de viver, morrer, ressuscitar… Jesus, que tem poder sobre a vida e a morte. E a gente pode dizer: morrer é muito ruim! Ninguém quer morrer, não! E foi por isso que me lembrei da história da folhinha Daniel.
Tudo aconteceu na grande floresta… Na grande árvore da Vida… Dela nasceram muitas folhinhas… Tinha a Filó… a Mena… a Gui… a Lhermina… a Teo e a Dolina… E tinha a mais sabida, que todos ouviam, a folhinha Daniel.
Eram todas folhas de uma mesma árvore, mas que mesmo parecidas, descobriram que não eram iguais…
Todos os dias o mestre Daniel ensinava às folhas.
Daniel – Irmãs, vocês são parte de uma árvore, que tem as raízes fortes escondidas debaixo da terra!
Narrador – Filó, a mais perguntadeira, disse:
Filó – E pra que serve a árvore?
Daniel – Ora… Ela dá abrigo aos passarinhos, dá sombra, dá frutos, renova o ar, ela embeleza… As pessoas vêm se sentar à sua sombra… As crianças… Esse é o propósito das árvores!
Filó – O que é propósito?
Daniel – É uma razão para existir… Tornar as coisas melhores para os outros é uma razão de existir. Como nos balançarmos no vento para abanar as pessoas que vêm fazer piqueniques… Dar uma sombra aos velhinhos… Isso tudo é uma razão para existir!…
Narrador – E o tempo foi passando… A primavera passou o verão… E chegou o outono trazendo seu friozinho… Então ocorreu uma grande transformação:

Filó
 – Veja Mena, acordei toda vermelha…
Mena – E eu, tô com uma laranja brilhante!

Gui
 – E eu! Estou amarelinha!

Lhermina
 – Vejam o Daniel está brilhando como ouro!

Narrador
 – A árvore estava linda… Mas todas as folhinhas começaram a perguntar a Daniel o porquê da mudança e tantas cores diferentes.

Daniel
 – Irmãzinhas, cada uma de nós é diferente, recebemos o sol de maneira diferente, estamos em lugares diferentes… E agora estamos vivendo o outono…

Narrador
 – E acontece uma coisa diferente… a brisa, que antes balançava as folhinhas fazendo-as dançar, agora parecia zangada e puxava as hastes das folhinhas fazendo muitas delas caírem.

Filó
 – O que está acontecendo? O que é isso?

Narrador
 – E Daniel explicou pacientemente.

Daniel
 – É isso que acontece no outono: é o momento em que as folhas mudam de casa… As pessoas chamam isso de morrer!

Filó
 – E todas nós vamos morrer um dia , Daniel?

Daniel
 – Vamos sim! Tudo morre… Grande ou pequeno… Fraco ou forte… Tudo morre! Primeiro, cumprimos a nossa missão e depois morremos.

Filó
 – Eu não vou morrer não… Você vai?

Daniel
 – Vou sim… Quando chegar o meu momento!

Filó
 – Tenho medo de morrer, Daniel!

Daniel
 – Isso é natural… Todos nós temos medo do que não conhecemos… Mas é preciso pensar que não tivemos medo quando a primavera se transformou em verão, e o verão em outono… Porque teríamos de Ter medo da estação da morte?

Filó
 – E pra onde vamos quando morremos?

Daniel
 – Mistério… Mas é importante sabermos que a vida sempre volta… Vamos nos encontrar depois no Grande Reino da Vida.

Filó
 – Então… se vamos morrer não era preciso viver. E porque viver então ?

Narrador
 – E Daniel, respondeu do seu jeito calmo de sempre:

Daniel
 – Pelo sol e pela lua, pelos tempos felizes que passamos juntos. Pela sombra… pelos outros  , pelos  velhinhos… pelas crianças… Pelas estações… Não é razão suficiente?
Narrador – E ao final daquela tarde, Daniel caiu a flutuar… Parecia sorrir enquanto caía e disse a Filó:

Daniel
 – Adeus… amiga , adeus por enquanto…

Narrador
 – E Filó ficando sozinha…sozinha … a única que restava no galho…
O inverno veio… Filó foi ficando mais frágil… Quando amanheceu veio o vento e arrancou Filó de seu galho… Não doeu… Ela sentiu que flutuava no ar, serena… Enquanto caía, ela viu a árvore por inteira pela primeira vez… Compreendeu que fazia parte de sua vida e sentiu orgulho disso. E viu que sua missão estava cumprida e adormeceu aos pés da árvore da vida.. isso então era a morte ? sim !!!
Mas havia também o despertar a grande vida prometida e então  ela  despertou para o Grande Reino, finalmente, onde a alegria reinava… Onde todos se encontravam e foi aquela festa…Ali , jamais iriam se separar .. Estavam juntas no paraíso prometido por Deus .
Compromisso da semana: Pela fé em Jesus Cristo, somos conduzidos pelos caminhos da vida e da salvação

Fonte de pesquisa (preces e leituras) – www.homilia.com.br
Imagem e Compromisso da semana (preces e leituras) – www.paulus.com.br

Fonte:http://www.missacomcriancas.com.br/site/5o-domingo-da-quaresma-ano/