18 de janeiro de 2017

Oração do adolescente


A adolescência não é a “idade horrível”, é a idade esplêndida em que Deus, pelas leis da natureza, põe no corpo e no coração do jovem um apelo profundo para um outro corpo, outro coração.
Quem dera que, neste tempo, o jovem tenha alguém para dizer-lhe isto. Pais que o amem bastante para não retê-lo egoisticamente, mas dirigir-lhe o olhar para a estrada nova e clara onde, um belo dia, a outra vai despontar.
Quem dera que ele tenha um amigo, um irmão que o ajude a sair de si próprio e dar-se aos outros; sem isto ele se tornará escravo de si mesmo, incapaz de amar.
*
Sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos nossos irmãos. Quem não ama permanece na morte… Nisto ficamos conhecendo o Amor: Ele ofereceu sua vida por nós. Devemos, também nós, oferecer a vida por nossos irmãos. (Primeira carta do apóstolo João, 3. 14, 16).
Meus queridos, amemo-nos uns aos outros, pois o amor é de Deus… Quem não ama não conheceu Deus, porque Deus é Amor. (Primeira carta do apóstolo João, 4. 7-8).
*
Quisera amar, Senhor,
Preciso amar.
Todo meu ser é um imenso desejo:
Meu coração,
Meus braços batem no ar e não consigo apanhar um objetivo para meu amor.
Estou sozinho e queria ser dois.
Vivo, e ninguém para acolher-me a vida.
Porque ser rico assim e não ter ninguém a enriquecer?
Donde vem este amor?
E para onde vai?
Quisera amar, Senhor.
Preciso amar.
Aqui está, Senhor, esta noite, todo o meu amor inativo.
*
Escuta, filho,
Para um pouco, e faze, silenciosamente uma longa romaria até o fundo do teu próprio coração.
Caminha ao longo de teu amor novinho como quem remontasse a corrente de um regato para achar a nascente.
E bem no fim, já no fundo, no infinito mistério de tua alma conturbada Me encontrarás, a mim,
Pois meu nome é Amor,
E desde sempre outra coisa não fui senão amor,
E o Amor está em ti.

Fui eu quem te fez para amar,
Para amar eternamente,
E teu amor passará para uma outra tu mesmo:
É aquela que procuras,
Fica tranquilo, ela está em teu caminho,
A caminho desde sempre, na Estrada de meu Amor.
Há que esperar que ela passe,
Ela se aproxima,
Tu te aproximas,
Vos reconhecereis,
Pois para ti fiz seu corpo, e fiz o teu para ela,
Para ela fiz teu coração, e para ti o seu,
Procurai-vos os dois, dentro da noite,
Em “minha” noite que se fará Luz se me mostrai confiança.
Guarda-te para ela, meu filho,
Como ela se guarda para ti,
Eu vos guardarei um par ao outro,
E já que tens fome de amor, botei no teu caminho todos os teus irmãos para amar.
Crê, é um aprendizado bem longo o do teu amor,
E não há muitas espécies de amor:
Amar, sempre é deixar-se para ir aos outros…
*
Senhor ajuda-me a esquecer-me por meus irmãos os homens,
Para que um dia, dando-me, eu aprenda a amar.
Michel Quoist
Retirado do livro: Poemas para Rezar
Fonte:http://cleofas.com.br/oracao-do-adolescente/

Estrela de Deus


Uma criança estava sentada vendo as estrelas no céu e perguntou para Deus:
– Por que o céu tem estrelas?
Deus assim respondeu: – Para iluminar a noite!
A criança ainda não satisfeita com aquela resposta exclamou:
– Mas Deus, já que é apenas para iluminar a noite, porque o Senhor não usa o sol?
Deus respondeu: – Se usar o sol para iluminar a noite não teria noite, seria dia, e as pessoas não dormiriam e não descansariam.
Depois dessa resposta, a criança parou para observar apenas uma estrela, e ela percebeu que existiam bilhões de estrelas, um número incalculável. A criança percebeu que tinha estrelas que brilhavam mais do que outras, mas nem por isso elas deixavam de brilhar.
A criança viu a lua, e ficou curiosa e voltou novamente a perguntar:
– Papai do céu, e a lua para que ela serve?
Deus respondeu: – Para iluminar ainda mais a noite.
A criança começou a sorrir e falou: – Papai do Céu, o Senhor tem medo do escuro?
Deus respondeu: – Não meu filho, mas ilumino a noite para ela não ser totalmente escura, senão os que precisam trabalhar de noite se perdem, os viajantes, os marinheiros no mar. Mas mesmo assim existem pessoas que não percebem que a noite é iluminada. A vida de vocês também é assim, por mais escura e triste que possa parecer em alguns dias, ela nunca estará totalmente escura. Nesses dias tristes da sua vida, olhe para o céu e lembre-se que Eu sempre te acompanho, mesmo no escuro. Não tenha medo de nada. Deus é a sua luz. Sua vida é sua estrela. Sua fé é o seu brilho.
Trecho retirado do livro: Histórias que o Vovô Conta – Volume II, Editora Cléofas

Qual o tamanho de Deus?


Um garoto perguntou ao pai:
-Qual o tamanho de Deus?
Então ao olhar para o céu o pai avistou um avião e perguntou ao filho:
-Que tamanho tem aquele avião?
O menino disse:
-Pequeno, quase não dá para ver.
Então o pai o levou a um aeroporto e ao chegar próximo de um avião perguntou:
-E agora, qual o tamanho desse?
O menino respondeu:
-Nossa pai, esse é enorme!
O pai então disse:
– Assim é Deus, o tamanho vai depender da distância que você estiver dele.Quanto mais perto você está dele, maior Ele será na sua vida!
-E quem não acredita que Deus existe?
Esses estão completamente cegos, mesmo em um aeroporto, não conseguem ver o gigante na pista, mesmo que as outras pessoas falem dele.
Retirado do Livro: Histórias que o Vovô conta
Fonte: http://cleofas.com.br/qual-o-tamanho-de-deus/

Como conquistar seu filho, segundo Dom Bosco


Conheça 10 conselhos de Dom Bosco para ajudá-lo a conquistar seu filho


Para se educar bem um filho é preciso conquistá-lo. Quando se conquista o coração de alguém podemos levar a pessoa a receber e acolher nossos ensinamentos e exemplos. Um rapaz enamorado faz com alegria tudo que sua amada deseja. Um filho é a mesma coisa; para educá-lo com os valores que queremos que ele viva, é preciso conquistá-lo, com dedicação, dia após dia, gastando tempo com ele, deixando de lado muitos dos nossos afazeres e prazeres para, simplesmente, entregar nossa inteira atenção a ele. Não se conquista um filho sem gastar tempo e dedicação a ele. E se não conquista-lo, como o levaremos mais para perto de Deus? A grande missão dos pais e educadores é, mais do que educar os filhos para o mundo, educa-los para Deus.
Nosso querido Dom Bosco, que dedicou praticamente toda a sua vida para cuidar de crianças, adolescentes e jovens, entre tantos ensinamentos, nos deixou algumas dicas práticas de como podemos conquistar nossos filhos:
1. Valorize o seu filho
Para conquistar um filho é preciso valorizá-lo; saber elogiar seus pequenos sucessos; mostrar-lhe os seus talentos e incentivá-lo a desenvolvê-los para o seu bem e para o bem dos outros. Seu filho deve se sentir precioso, único. Muitas vezes, os pais sabem disso, mas os filhos não. É importante dizer a ele. Ajude-o a entender seu valor para si mesmo, para a sua família, para a sociedade e para Deus. A Beata Madre Teresa de Calcutá costumava dizer que enquanto perdemos tempo julgando os defeitos, não temos tempo para amar.

2. Acredite no seu filho
Acreditar no filho é nunca desanimar por causa de seus problemas, seja na escola, em casa ou em outros assuntos. Cada criança tem seus problemas, seus medos, suas dificuldades e limitações. E cada criança é diferente da outra. Nossos filhos não são iguais. Muitos pais se desesperam ao comparar um filho ao outro. Acredite que com amor e carinho, com paciência e sabendo dar tempo ao tempo, tudo pode mudar. Na educação de meus cinco filhos eu vi isso; aquele filho que mais trabalho me deu na escola, foi o que mais se destacou nos estudos depois de adulto. Acreditar no filho é ter paciência com ele, como se tem com uma plantinha que precisa se cuidada com carinho e proteção para poder crescer. Cuide dessa plantinha a cada dia, o melhor que puder, e entregue o futuro a Deus. Se você não acreditar no seu filho, quem poderá acreditar?
3. Ame e respeite o seu filho
Não há como conquistar o filho e educá-lo bem sem amá-lo e respeitá-lo profundamente. Amar alguém significa dar-se; esquecer-se de si mesmo; dizer não a si para dizer sim ao outro. Exige renuncia, compreensão, paciência, tolerância, bondade, humildade, respeito. Nunca humilhar o filho, nunca zombar de seus erros, nunca desconfiar de suas palavras, nunca menosprezá-lo. Respeitar significa ainda nunca corrigi-lo na frente dos outros, dos irmãos, para que ele não fique humilhado e zangado conosco. Bem nos lembra São Paulo em sua carta aos colossenses: “Pais, deixai de irritar vossos filhos para que não se tornem desanimados”.Col 3,21.
Ouça também: Conquiste o adolescente
4. Elogie seu filho sempre que puder
Todo mundo gosta de ser elogiado, ninguém gosta de ser criticado. Os pais precisam elogiar os filhos nos seus acertos e sucessos, bons comportamentos, bons gestos, etc., pois isso estimula o filho a querer repetir o que fez de bom. Mas não podemos exagerar para não despertar orgulho e vaidade inconvenientes. Por outro lado, não se pode deixar de corrigir quando necessário, sempre a sós, sem que ninguém veja, fazendo a crítica construtiva e sempre mostrando a razão da correção, com carinho e sinceridade.
5. Compreenda seu filho
Todos nós temos nossos erros, e precisamos que as pessoas nos perdoem e nos ajudem a mudar. De nada vale uma repreensão severa sem o um estímulo para mudar. Dom Bosco dizia para atrair as abelhas vale mais uma colher de mel do que um barril de vinagre. A crítica ácida e humilhante nunca vai ajudar um filho a crescer e superar-se. Também é importante que cultive o diálogo com seu filho e saiba escutá-lo. Muitas crianças e jovens se queixam de não conversarem profundamente com seus pais por eles não saberem ouvir, ou simplesmente, não se importarem com o que acontece no seu dia-a-dia. Muitas vezes, você só conseguirá compreender o seu filho se conseguir penetrar na sua vida. Nem tudo os filhos falam. Também é preciso compreender seus silêncios.
6. Alegre-se com o seu filho
A alegria um grande tônico de vida; é bom ter uma pessoa que sabe sorrir ao nosso lado. Os pais devem ser alegres com os filhos, precisam saber contar histórias saudáveis engraçadas, e se alegrar com os pequenos feitos de seus filhos, desde um pequeno desenho mal rabiscado em um papel, até um sucesso na escola, nos esportes, etc. Mas os pais não podem mimar seus filhos. A Palavra de Deus diz que “aquele que estraga seus filhos com mimos terá que lhes curar as feridas” (Eclo 30,7).
7. Aproxime-se de seu filho
Viva com o seu filho. Viva no meio dele. Conheça seus amigos. Procure saber onde ele vai, com quem está. Convide-o a trazer seus amigos para a sua casa. Participe amigavelmente de sua vida. Não afaste seu filho de você, mandando-o ir para sempre para a casa dos outros. Misture-se com seus amigos em suas diversões. Para ser amigo de seu filho você precisa também ser amigos dos amigos de seus filhos, e participar de suas atividades.
8. Seja coerente com o seu filho
Não podemos tratar os filhos com desatenção ou com mentiras. E não podemos deixar de leva-los a sério pelo fato de serem crianças ainda. Nos limites de suas idades e de suas compreensões dos fatos da vida, os pais precisam considerar com cuidado e atenção suas observações, ideias, intenções, e nas conversas que possam parecer sem importância.
Por outro lado, não se pode exigir que o filho faça algo que os pais não fazem. Para educar os filhos é mais importante o exemplo do que as palavras. O filho perde a confiança nos pais quando eles dizem uma coisa e fazem outra.

9. Prevenir é melhor do que castigar o seu filho
Os educadores dizem que é preciso educar a criança para não ter que punir mais tarde os adultos. A criança precisa ser educada enquanto é criança. O livro do Eclesiástico diz: “Aquele que dá ensinamentos a seu filho será louvado por causa dele” (Eclo 30,2), e ainda: “A criança entregue a si mesma torna-se temerária” (v.8). É preciso saber corrigir os filhos com sabedoria, pois aquele que ama o seu filho o corrige com frequência para que se alegre com ele mais tarde.
10. Reze com seu filho
A educação integral da criança envolve a educação do corpo, da mente e do espírito. Não há como educar bem o filho, na totalidade da realidade humana, sem a fé e a religião; pois sem isso o filho deixa de ter uma formação transcendente, que supera os limites dessa vida. Fomos criados por Deus e para viver com Ele aqui e na eternidade; por isso, Ele como o “escultor” de nosso ser, sabe o que é melhor para sermos felizes. Deixar de seguir as leis de Deus seria fazer como alguém que usa uma máquina sem observar o catálogo do seu criador.
Prof. Felipe Aquino

Fonte:http://cleofas.com.br/como-conquistar-seu-filho-segundo-dom-bosco/

Por que as crianças inocentes sofrem?


Muitos perguntam também por que as crianças, tão inocentes, sofrem, e se Deus não estaria sendo injusto permitindo isto. Deus não pode ser injusto, senão não seria Deus.
As crianças e os inocentes sofrem porque participam da dignidade humana, e compartilham a sorte da humanidade.
O espiritismo quer explicar o sofrimento da criança pela via da reencarnação, pela lei do Karma, segundo a qual a pessoa estaria expiando as culpas dos pecados cometidos em vidas anteriores. As sucessivas reencarnações se repetiriam até a purificação total da pessoa.

Acontece que ninguém provou de maneira positiva a reencarnação. Em estado psíquico normal, sem hipnose, ninguém tem consciência de já ter vivido anteriormente. Até mesmo um grande adepto moderno da reencarnação reconhece que:
“O mais importante argumento contra a reencarnação é o esquecimento quase geral das vidas passadas; são extremamente raras as recordações da reencarnação; eis por que podem ser consideradas como ilusões individuais… Se é verdade que já vivemos algumas vezes, como se explica não só o esquecimento geral das vidas anteriores, mas o esquecimento dessas vidas por espíritos elevados e sobretudo pelos místicos, os quais penetram até a essência do ser?” (W. Lutoslawski, Preesistenza e Reincarnazione, 61s).
Se uma pessoa está sofrendo neste mundo, para se redimir de sua culpa, mas não sabe que culpa é esta, de nada vale o seu sofrimento. Se ela não conhece os erros que cometeu no passado, como poderá corrigir a sua vida? Como, então, poderá melhorar a sua vida através da reencarnação, se não sabe em que melhorar? Esta é uma grande incoerência da “lei do Karma”.
É interessante dizer que, mesmo sob estado hipnótico, em geral, as pessoas que dizem se lembrar de suas vidas anteriores, se identificam com pessoas ilustres e importantes; nunca com pessoas comuns. Douglas Home, observador desses fatos, dizia que já tinha encontrado doze Maria Antonieta, rainha da França, seis ou sete Maria Stuart, rainha da Inglaterra, muitos São Luiz, rei de França, uns vinte Alexandre Magno e César… Nunca encontrou alguém que dissesse que foi em outra vida uma pessoa sem importância.
Quando se visita uma clinica de doentes mentais também é possível encontrar alguns doentes que se identificam com personagens importantes da história.  Eu sou Napoleão!…
Então, a criança não sofre para pagar os pecados de uma suposta vida anterior. Ela sofre porque é solidária com a humanidade, e as consequências de seus erros a atingem também, embora inocente. Não é preciso inventar teorias complicadas para explicar o sofrimento; e nem mesmo culpar a Deus pelo erro que é nosso.
Deus não interfere no sofrimento da criança, a todo instante fazendo milagres para impedir o mal, para não destruir a ordem natural que Ele mesmo criou. Deus não quis fazer o homem e o mundo como um teatro de marionetes, teleguiado por Ele, não; Ele lhe impôs leis que regulam a vida e a natureza.
Em consequência do pecado, o sofrimento  e a morte fazem parte da história de todos os homens, inocentes ou pecadores. Muitas vezes um inocente morre por causa de um pecador. Os acidentes das estradas comprovam isto todos os dias; e ninguém pode culpar a Deus, mas sim os verdadeiros culpados que são os maus.cpa_nao_vos_conformeis
São Paulo ensina que “o salário do pecado é a morte” (Rm 6,23); e esta pode atingir a todos, inocentes e culpados, porque a humanidade é solidária; é unida. Cada pecado atinge todos os a homens; assim como cada ato bom também atinge.
A fé ensina que Deus Pai, pelo sofrimento redentor de Jesus, resgatará todo sofrimento da criança inocente e fará cada uma ressuscitar um dia com Cristo.
Não devemos esquecer que os primeiros mártires da Igreja são os inocentes que morreram pelas mãos de Herodes, em Belém (Jr 31,15). Hoje são santos mártires da Igreja. O seu sofrimento não foi em vão. Não podemos olhar os fatos só com os olhos deste mundo; é preciso vê-los à luz da fé.
A paixão e morte de Jesus resgatou o mundo. Ouvi uma história muito bela que não sei se foi verídica, mas que faz a gente pensar.
Em algumas cidades americanas há aquelas pontes sobre um largo rio, formadas de duas partes que se abrem e levantam quando passam sob elas os navios.
Havia uma dessas pontes, que além de tudo continha uma estrada de ferro sobre ela. Um homem a operava. Quando vinha o trem ele baixava a ponte para ele passar, quando vinha um navio, ele a levantava comandando máquinas e engrenagens enormes, que ficavam sob os seus pés.
Certo dia o seu filho, pequeno, foi visitá-lo, com uma bola nas mãos. Ao brincar com a bola, esta escapou-lhe e caiu lá no meio das engrenagens. Logo o garoto desceu os degraus para pegar a bola, sem que o pai pudesse impedi-lo, e se meteu no meio das grandes engrenagens. E eis que o trem vinha vindo; e ele teria de baixar logo a ponte, sabendo que o filho estava lá em baixo correndo risco. Gritou desesperado para que o filho deixasse a bola e subisse, mas este não o ouvia. Eis que o trem se aproximava rápido, e ele sentiu que não teria tempo de ir buscar o garoto antes do trem passar… Ficou com o coração na mão… o dilema era enorme: se baixar a ponte as engrenagens matariam o seu filho, se não baixasse a ponte seria uma enorme tragédia, muitas pessoas pereceriam no acidente.
Não teve alternativa, com o coração sangrando e os olhos cheios de lágrimas, baixou a ponte (…) o trem passou, e as pessoas, como faziam de costume, lhe abanavam os lenços e lhe davam adeus e sorrisos (….)
O Pai entregou Jesus por nós assim (…). Ainda duvidaremos do seu amor? Por isso, diante da dor e da morte, mesmo de uma criança inocente, façamos silencio e jamais ousemos culpar a Deus; não somos dignos e nem capazes de compreender os seus santos desígnios. É melhor não crer em Deus, do que crer em um Deus que seja malvado.
Prof. Felipe Aquino
Do Livro: Não Vós Conformeis Com Este Mundo

Fonte:http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2014/06/03/por-que-as-criancas-inocentes-sofrem/

3º Domingo Comum – Ano A

“Estamos preparados para sermos pescadores de homens que Deus nos confia? Então é só sair pelo mundo e falar que Deus nos ama e nos quer sempre perto Dele.”

– Missa com criança da semana: Pescadores de homens
– Evangelho: Mt 4,12-23
Jesus nos chama à conversão
A liturgia de hoje nos convida a acolher Jesus como a grande luz que liberta a humanidade das trevas do mal e do pecado. Celebremos o Senhor, que alegra nossa vida com o anúncio de que o reino de Deus não está longe, mas próximo de nós.
Acolhida – Boa noite, queridas crianças. Boa noite a todos aqui presentes. Sejam todos muito bem-vindos a esta celebração.
Hoje, falaremos aqui na nossa celebração de pescadores. Vamos vestir aqui uma criança como se ela fosse um pescador. Vocês já viram alguém sair pra pescar? Como é que eles se vestem? Tem chapéu? Tem camisa xadrez, tem botina, tem capanga e dentro da capanga, o que será que tem? Gente do céu… Tem minhoca. Pra que serve a minhoca? Ah! Agora tem também a vara, e tem a linha e tem anzol também. Está faltando alguma coisa? Ah, lanterna! Agora ele está pronto pra pescar.
Mas ele vai pescar o quê?
Então esse pescador pescará peixinhos bem gostosos para comermos, não é mesmo? Mas e se eu contar pra vocês que Deus nos chama a sermos pescadores? Isso mesmo!  Ele nos chama a ser pescadores, mas não de peixes, ele quer que pesquemos gente. Isso mesmo! Pesquem peixes homens.
Vamos então vestir um pescador de Deus: um pescador de Deus tem que se vestir de homem limpo, tem que ter o corpo limpo de maldades e ódio. Ele tem que ter uma bíblia porque só através da palavra ele pode pescar, ela é sua vara. Tem que ter a isca, que é o coração. Tem que ter a linha que é o terço, a oração. E tem que ter a capanga pra levar tudo que é necessário para se pescar um homem, vamos ver que palavras são? (amor, caridade, justiça, ações…).
Agora sim, estamos preparados para pescar os homens que Deus nos confia. Agora é só sair pelo mundo, crianças, e falar de Deus para os outros os fazendo entender que Ele nos ama e nos quer sempre perto Dele.
Vamos então iniciar nossa celebração sabendo agora que todos nós somos pescadores de homens, de pé, cantando.
Ato penitencial
1 –  Primo  , ocê tem certeza que a pescaria é aqui mermo ?
2-  Claro que sim , compadre! oia só o endereço que Jesus nos deu ?
1- É mermo .. é aqui … então nossa missão é pescar os peixes bão e ruim do povo de Deus
2- Isso !  Devemo separar os bão pra que eles cresçam no coração
1- E devemo apartar os ruins pra jogar eles no lixão
2- É isso ai , primão !
1- Vamos então pro meio do povo pra gente pescar
2- E ai, irmão .. pegou nada não ?
1- Que num peguei o que .. é tanto  peixe que num tá cabeno na vara sô
2- E o qui foi qui ocê pescou ?
1- Virgem !!! Pesquei nesse banco aqui um peixão da mentira … peixe do pecado ..
2- Cruz credo ,primo .. que coisa feia !
1- E ocê pescou algo bonito ?
2- Tô tentano . aiaiaiai pesquei ! Nossa que peixão .. aqui no banco o peixe foi da preguiça .
1- Cruiz credo , primo . Vamos colocar tudo no cestão .. oia oia oia .. que eu estou pescano tb . Veja só .. é um peixe brasileiro .. ele tá cheio de dinheiro …peixe egoísta só gosta pra si.. Oia lá em gente .. oia o pecado crescendo
2- Mais aqui tá bão demais .. o povo desse barco pescou um peixe do amor
1- Que coisa rara , primo .. Vamos logo colocar ele nesse outro balaio e por peso em cima pra ele não fugir.
2- Nossa quiria tanto pescar um peixe baão … esse povo de cá bem que podia pecar menos .Nossa .. oia só os peixão que peguei.. é o peixe da inveja , do comodismo , da desobediência ( êta menino .. ce desobedece né .. )
1- A coisa tá boa aqui pro meu lado,primo .. oia o peixe danado de bão que eu pesquei .. é o peixe da amizade , das  boas ações e da boa vontade .
2-  Uai , mas esse lado daí tá melhor que daqui.. Vamó mudar de lado
1- Tô chegando e tô pescano .. aqui nesse banco tenho certeza que eu pescar só peixe  bão , né gente ( com cara de mau).. cruiz credo ., foi nada bão não .. eu pesquei foi só  fofoca , intriga , falsidade .. tô achano que eu  é que tô cum o pecado ..
2- Mais primo , fica triste não . Vê só o peixe que eu pesquei,, é o peixe do perdão !!!
1- Uai , primo . acho que ocê levou . que maravilha … então agora ,  é só eu  pedi perdão .. ocês ai que estão com esses pecados todos tb, viu .. e a gente tentar não mais errar que ai Deus perdoa e nois fica tudo limpinho .
2-isso primo  enquanto o povo canta , a gente se adianta .. vai queimando os peixes do pecado e  lançando no mundo os peixe que são bão
1- Então vão .
Leitura – Agora sim! Sabemos que somos pescadores. Sabemos que nosso coração está limpinho… limpinho, porque  nossos pecados foram pescados e perdoados. Agora precisamos nos alimentar da palavra viva de Deus. Por isso, vamos todos, bem sentadinhos, ouvir com atenção as instruções de nosso mestre maior, refletindo cada palavra da nossa leitura de hoje.
Aclamação – Descobrimos hoje uma nova missão “Ser pescador de homens”, conhecer os caminhos de Jesus e levar as pessoas para caminharem junto a ele. Dessa forma estaremos com nossas redes sempre cheias da graça de Deus em nossas vidas, De pé, com alegria, cantemos.
Ofertório.
Hoje, senhor, como bons pescadores que somos, trouxemos nossas ferramentas do mar da vida pra te oferecer.
Trouxemos nossa isca que é a tua palavra…
Trouxemos o anzol que é o nosso amor, porque só com amor podemos ter as pessoas bem perto de nós…
Trouxemos a varinha porque sabemos que podemos pescar muito, mas que independentemente de quanto pescar o importante é sempre tentar buscar, jamais desanimar.
Trouxemos a rede porque muitos peixes homens, crianças, mulheres, velhinhos, adolescentes, jovens queremos fazer conhecer tua palavra, saber da luz que o Senhor nos oferece pra que jamais nos percamos no caminho.
Trouxemos a lanterna… Nossa luz… Deus em nossa vida. Essa luz que não pode faltar a nenhum pescador de homens
Trouxemos o balaio, que representa nossa igreja, pois é onde despejaremos nosso pescado da vida, onde se fará oferta maior a teu altar e onde se dará a grande transformação do que somos…
E junto ao pão e ao vinho trouxemos todo nosso compromisso com o trabalho… Nossos peixes… Nossa missão, na certeza de que não temeremos o mar da vida, mas sim tiraremos dele o melhor que pudermos pra te oferecer. Amém.

Comunhão
 – Pescador que se preza tem que ser alimentado pela luz da vida. Eis que a luz, Jesus, chama a todos nós a participar de sua mesa. Então, crianças, com alegria, vamos ao seu encontro cantando.

Ação de graças –
 Hoje, crianças, descobrimos que temos uma profissão. Quem sabe qual é essa profissão?
Somos, portanto, pescadores de homens.
Qual é a nossa missão? Devemos falar de Jesus aos outros e trazer pra nossa igreja todas as pessoas que andam distantes, que não conhecem a Deus e que através de sua pescaria, ou seja, de suas palavras quer conhecer Jesus mais de perto. Então nossa missão é levar Jesus aos outros e trazer os outros pra conhecer esse nosso Jesus, combinado?

Historinha para o teatro da semana:

Pescador de vida

Era uma vez uma tribo, lá no meio do meio da floresta amazônica.
Era uma tribo triste e sem vida. Os indiozinhos eram pobres, pobres, famintos e raquíticos.
Seus pais estavam desanimados, pois há muito o rio não dava peixes e nem suas lavouras estavam mais dando frutos. Era uma terra desanimada e infeliz.
Paitacá, um menino assim da idade de vocês não se conformava com a situação da sua tribo. Sabia pelo pai de seu pai, que antes tudo era muito bom, tinha-se muita fartura, cultivavam grandes plantações e a terra devolvia o carinho em forma de muitos e muitos frutos. A tribo banqueteava com a fartura dançando ao redor da fogueira, mas, um dia, por causa de um cacique mau que entrou para a liderança da tribo, tudo se acabou. Ele semeou a desigualdade, a discórdia, queria que cada família produzisse pra si, proibiu as festas, impediu que dançassem.
As famílias desnorteadas caçavam sem parar sem preservar a natureza, pois o cacique vendia peles e carnes aos brancos. Com isso, os bichos fugiram, muitos foram extintos e outros tantos agora só sabiam se esconder.
As plantações ralearam porque quem plantava só plantava pouco… Assim, logo as plantações acabaram os rios foram poluídos pela procura de ouro e de pedras preciosas afugentando também os peixes.   E com toda essa desorganização, o cacique não podendo mais furtar nada da terra foi-se embora pra bem longe, explorar outros índios.
Paitacá então teve uma idéia procurou agora pelo cacique pai e pediu a ele que o deixasse partir à procura de outros índios para que pudessem ajudar aos seus a ter mais coragem, a trabalhar a terra, a encher os rios com vida e plantar com alegria as terras abandonadas.
O cacique que era bom, mas que não acreditava muito na mudança, disse a Paitacá que fosse, mas que para que ele não desanimasse na sua busca, que levasse o sinal da tribo…  Uma cruz que lembrava o sacrifício de certo homem, pescador de outros homens e que mudou a vida do mundo.
Paitacá agradeceu e o cacique o abençoou.
Logo pela manhã bem cedinho, despediu-se de seus pais e foi à procura de homens do bem que pudesse ajudá-los na missão de devolver à vida aquela tribo tão sem esperança.
O indiozinho subiu colinas, desceu serras, enfrentou fome e frio.
Sob o sol escaldante, ele andou. Seus pés inchados, cansados e feridos não eram empecilhos para seu objetivo.
Enfrentou noites sombrias, ventanias, tempestades e calmarias. Teve medo… .Teve dor, mas não desanimou.  Lutou até com onça brava e sob fugir de urso nervoso. Sabia que seu sacrifício ajudaria seu povo e encontraria, com certeza, índios de boa vontade que o ajudaria.
Logo bem cedinho, ele avistou uma grande tribo… Queria correr, mas não tinhas pernas pra isso, queria gritar, mas não tinha voz, estava fraco, sem forças, então ele se arrastou, arrastou até que um bom índio que caçava por ali o encontrou e o levou para sua tribo.
Lá na tribo, ele foi para a oca do cacique onde foi cuidado pelo pajé da tribo. Logo que recuperou as forças, contou ao cacique o drama vivido pela sua tribo. O cacique chamou os velhos da tribo para ouvir a história.
Paitacá contava com entusiasmo sobre a esperança de seu povo em receber ajuda para que pudessem viver, pois caso contrário eles iriam se extinguir.
Os mais velhos ouviram o relato, alguns não deram crédito ao que o menino falava (ouvir menino? Por que não mandaram um guerreiro).
Mas eu sou um guerreiro – dizia Paitacá.
Outros da tribo, não queriam se comprometer, entrar em outra tribo, salvar aquele povo. Muitos foram saindo de mansinho, acomodados demais com sua vidinha.
Paitacá ficou triste, viu que não conseguiu tocar no coração daqueles homens para que eles pudessem ajudar sua tribo. Então se lembrou do símbolo do pescador de homens, tirou do pescoço, onde o símbolo estava perto do coração e falou do grande mestre.  Disse que se eles, de fato, acreditavam no maior dos mestres, também deveriam ser pescadores, como ele, e levar a todo povo a mensagem de amor e fraternidade que ele ensinava. Perguntou a eles como podiam acreditar naquele pescador se não sabiam fazer como ele, não sabiam viver como ele, se não sabiam amar como ele.
Neste momento, crianças, os índios mais sábios abriram os olhos, colocaram suas mãos na grande cruz e se lembraram dos ensinamentos do mestre que dizia que precisava deles para que outros povos pudessem ter esperança, ou seja, uma vida nova.
Imediatamente, chamaram os homens mais fortes da tribo, os melhores caçadores e os melhores pescadores, chamaram as mulheres que sabiam como tratar as sementes, os guerreiros que sabiam limpar os rios e trazer os peixes e as crianças que sabiam cuidar dos animais para que eles pudessem voltar à velha tribo.
E assim se fez. Foram muitos para a tribo de Paitacá, muitos pescadores de homens para salvar a tribo da falta de esperança.
Foram recebidos com festa e depois de uma grande conversa ao pé da fogueira, ensinaram o que sabiam; como deveriam viver daquele dia em diante, unidos, dividindo tudo entre eles, esquecendo o egoísmo e praticando a fraternidade.
Todos entenderam e se colocaram ao trabalho. Em pouco tempo, os rios estavam limpos e bem cuidados, cheios de peixes, plantações se desdobravam nos horizontes, bichos de todas as espécies povoavam aquela mata.
A tribo de pescadores de homens, então, viu por terminada, a missão. Despediu-se com grande festa e coroaram Paitacá como um grande menino guerreiro.
A paz reinou na tribo e aqueles índios que agora estão lá, sabem perfeitamente de sua missão, também deverão ser pescadores de homens, ajudando a Jesus na sua missão.
Compromisso da semana: Jesus é a luz de Deus em nossa vida. Ele nos chama a segui-lo para espalharmos no mundo a sua luz.
Fonte de pesquisa (preces e leituras) – www.homilia.com.br
Imagem e Compromisso da semana (preces e leituras) – www.paulus.com.br
Fonte:http://www.missacomcriancas.com.br/site/3o-domingo-comum-ano/

12 de janeiro de 2017



Hora Santa para Crianças e Adolescentes


Canto: Um dia uma criança me parou, olhou-me nos meus olhos a sorrir. Caneta e papel na sua mão, tarefa escolar para cumprir. E perguntou no meio de um sorriso o que é preciso para ser feliz?
Amar como Jesus amou, sonhar como Jesus sonhou, pensar como Jesus pensou, viver como Jesus viveu. Sentir o que Jesus sentia, sorrir como Jesus sorria. E ao chegar o fim do dia eu sei que eu dormiria muito mais feliz.
Ouvindo o que eu falei ela me olhou e disse que era lindo o que  eu falei. Pediu que repetisse, por favor, que não falasse tudo de uma vez. E perguntou no meio de um sorriso o que é preciso para ser feliz.
Depois que eu terminei de repetir, seus olhos não saiam do papel. Toquei no seu rostinho e a sorrir pedi que ao transmitir fosse fiel. E ela deu-me um beijo demorado e ao meu lado foi dizendo assim.
Saudação
  1. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito santo.
T: amém!
  1. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
T: Bendito seja Deus que nos reuni no amor de Cristo.
  1. Somos convidados a estar com Jesus no santíssimo Sacramento, para louvar, agradecer, bendizer e adorar ao Deus da vida. Durante esta hora, vamos abrir-lhe o nosso coração, meditar Sua Palavra e alimentarmos do seu amor. No Montedas Oliveiras, Jesus disse aos seus discípulos: “Minha alma está numa tristeza mortal, ficai aqui e vigiai comigo. (Mt 26,38).
Podemos dizer, então: Aqui estamos Senhor, contigo ficaremos e vigiaremos. Que o Espírito Santo nos encha com a sua luz e acenda em nossos corações a chama de seu divino amor.
Canto:
Tu anseia, eu bem sei, por salvação
Tens desejo de banir, a escuridão
Abre, pois, de par em par, teu coração.
E deixa a luz do céu entrar.
Deixa a luz do céu entrar (2X)Abre bem as portas do teu coraçãoE deixa a luz do céu, entrar.
Cristo, a luz, do céu em ti, quer habitar
Para as trevas do pecado, dissipar,
Teu caminho e coração, iluminar,
E Deixa a luz do céu, entrar.
  1. Senhor, neste dia quero aprender a amar como Tu amas e compreender como Tu compreendes. Ensina-me a respeitar e aceitar os outros; ter paciência, bondade, mansidão e prudência. Que eu veja somente o bem em cada um dos meus irmãos. Transforma o meu coração para que eu leve a paz, a alegria, o consolo, a esperança e o amor aos que se aproximarem de mim. Cubra-me com Tua graça e que eu jamais Te ofenda e possa Te revelar a todos.
T: Amém.
L1: Todas as vezes que nos reunimos Ele está presente no meio de nós: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí no meio deles.”(Mt 18,20). Somos o seu corpo, Ele age em nossas ações, “Eis que eu estarei convosco todos os dias , até o fins dos tempos.” (Mt 28,20). Por isso, em todos   os momentos Ele está conosco, mesmo quando é noite, não estamos sós.
T: Fica conosco Senhor, somos teus seguidores. Fica conosco Senhor, somos tuas crianças.
L2:”Cristo está presente na sua Palavra, pois é Ele que fala quando na Igreja se leem as Sagradas Escrituras”. Portanto, quando ouvimos as Escrituras Ele nos fala e aquece nosso coração.
T: Fala Senhor, fala da vida. Só tu tens Palavra eterna, queremos ouvir!
L3:Jesus Cristo está presente na pessoa do pobre e excluído. Todas as vezes que fazemos algo por estes, é ao próprio Cristo que fazemos.(Cf. Mt25,40).
T: Entre nós está e não o conhecemos. Entre nós está e nós os desprezamos.
L4: Presente na Assembleia reunida, na Palavra proclamada e no pobre, Jesus Cristo está presente de modo especial na Eucaristia.
T: Eu vim para que todos tenham vida, que todos tenham vida plenamente.
D.Ó Deus de amor e de acolhida, obrigado por este encontro. Ajudai-nos a tornar-nos pessoas capazes de amar. Reconheçamos ser pecadores e invoquemos a misericórdia do Pai.
L1: Senhor, nem sempre escolhemos o dom da vida. Somos vencidos pelas tentações e pecados contra o Criador e a sua criação, pelo excesso de consumismo, egoísmo e orgulho dominador. Confiastes na vossa misericórdia, rezemos:
T: Perdão, Senhor, porque não colocamos o amor em primeiro lugar.
L2:Pelas vezes que não preservamos nossa língua do mal e de nossos lábios saíram palavras mentirosas que machucam a vida de nossos irmãos , rezemos:
T: Perdão, Senhor, porque não colocamos o amor em primeiro lugar.
L3:Pelas vezes que nossos olhos não se voltaram ao justo e nossos ouvidos não atenderam ao grito do necessitado, rezemos:
T: Perdão Senhor, porque muitas vezes valorizamos mais o dinheiro  deixando de lado o valor da pessoa humana.
L4: Senhor Deus, que se mostra tão bondoso para com vossos filhos e filhas que se reconhecem pecadores, libertai-nos de nossos pecados para que possamos, de coração puro, celebrar a vossa ressurreição.
T: Dai-nos a graça de cantar vossos louvores de modo que eles vos sejam agradáveis e possam, assim, por vossa graça, reparar o mal que praticamos.
L1: Infelizmente nossas faltas nos levam a inverter o ordem dos valores. Acabamos valorizando mais os bens materiais do que as pessoas. Que o Senhor da esperança nos envie o Espírito Santo para criar em nós um coração novo capaz de amar como Jesus amou.
T: Que todos os movimentosdo nosso coração sejam um testemunho do nosso amor a Jesus.

Canto: A Ti Meu Deus, elevo meu coração
Elevo as minhas mãos , meu olhar, minha voz
A Ti Meu Deus eu quero oferecer, Meus passos e meu viver, meus caminhos, meu sofrer
( Refrão)
A Tua ternura Senhor vem me abraçar
E a tua bondade infinita me perdoar
Vou ser teu seguidor e te dar meu coração
Eu quero sentir o calor de Tuas mãos.
A Ti Meu Deus , Que És bom e que tens amor
Ao pobre ao sofredor, vos servir, esperar
Em Ti Senhor, humildes se alegrarão
Cantando a nova canção de esperança e de paz.
( Refrão)
A Tua ternura Senhor vem me abraçar
E a tua bondade infinita me perdoar
Vou ser teu seguidor e te dar meu coração
Eu quero sentir o calor de Tuas mãos.
L2:Façamos um pequeno silêncio e pensemos se estamos sendo capazes de amar a Deus mais do que aos bens materiais. ( Ficar sentados e fazer silêncio)
L3: Contemplando este Deus Pai amoroso que compreende , ama e perdoa, vamos acolher uma vez mais a parábola do pai bondoso e seus dois filhos .
D: “ Um homem tinha dois filhos. O mais novo pediu ao pai a parte de herança que lhe cabia. O pai dividiu, então, os bens entre eles. Dias depois, o filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante e ali gastou tudo numa vida desenfreada. Quando tinha esbanjado tudo o possuía, chegou uma grande fome naquela região, e ele começou a passar necessidade. Arrependido, resolveu voltar para casa. Seu pai o recebeu com grande festa. O filho mais velho estava no campo e ao voltar para casa, ouviu música e barulho de dança. Perguntou  ao criado o que estava acontecendo e este respondeu que seu irmão havia voltado e seu pai o recebeu com festa. Ele ficou revoltado e não queria entrar em casa. Seu pai foi ao seu encontro e disse-lhe: “Filho, o que é meu é teu; convinha fazermos festa, pois teu irmão estava morto e reviveu, tinha-se perdido e foi achado”. Palavra da Salvação.
T: Glória a vos Senhor.
L4:Senhor, Jesus, queremos te pedir: ajuda-nos a viver este amor incondicional que rejeita ambição, o egoísmo e a prepotência. Que as pessoas descubram a alegria de repartir de repartir e amar como Jesus amou.
Canto: Tudo é do Pai (se não souber cantar pode ser lido todos juntos)
Eu pensei que podia viver por mim mesmo/ Eu pensei que as coisas do mundo não iria me derrubar / O orgulho tomou conta do meu ser / E o pecado devastou o meu viver / Fui embora disse ao pai daime o que é meu! / Dá-me a parte que me cabe da herança / Fui pro mundo / Gastei tudo / Me restou só o pecado / Hoje eu sei que nada é meu tudo é do pai
(refrão)
Tudo é do paiToda honra e toda glóriaÉ dele a vitóriaAlcançada em ,minha vidaTudo é do paiSe sou fraco e pecadorBem mais forte é meu SenhorQue me cura por amor (bis)

  1. O amor de Jesus é mesmo sem limite: para ele, vale a pena dar a própria vida pelas pessoas que se ama. E foi o que Ele fez. Vamos relembrar um pouco sobre os últimos dias de Jesus, antes da sua morte.
L1. Jesus não era aceito pelas pessoas do seu tempo. Suas ideias não erram do interesse de muitos , porque Ele estava do lado dos pobres, dos injustiçados e dos pecadores.
T: Por isso os poderosos decidiram  que ele não podia viver no meio do povo e resolveram mata-lo.
L2:No Horto das Oliveiras, na quinta-feira , pensando em sua amarga Paixão e morte, Jesus derramou suor de sangue .Depois foi preso, maltratado e coroado de espinhos. Sentiu náuseas e calafrios pelo sangue perdido e pelas dores.
T: Meu Jesus, por essa coroa de longos espinhos que transpassaram a Vossa Santa face, tende compaixão das pessoas que sofrem abandonadas pela família e pela sociedade.
L3:A noite foi longa, marcada pelo sofrimento, fome, sede e abandono. Ao amanhecer, colocaram uma pesada cruz em seus ombros e o fizeram caminhar pelas ruas até o monte Calvário.
T: Jesus, mesmo sendo Deus, assumiu a forma de escravo e tornou-se igual ao ser humano. Como homem, humilhou-se e tornou-se obediente até a morte, e ,morte de cruz.
  1. Nesse grande momento de aflição que Jesus passava, sua querida mãezinha foi ao seu encontro para lhe dar a única coisa que podia: o seu amor. Ela via o sofrimento de seu filho e nada podia fazer. Meditaremos sobre os momentos martirizantes que ela viveu, desde o nascimento de Jesus até sua morte.
L4:Mesmo estando na Graça de Deus, Maria não deixou de passar por provações, dificuldades e dores. A primeira  dor de Maria foi ouvir o velho Simeão lhe apresentar uma espada de dor que iria lhe acompanhar por toda a vida. Por essa dor, rezemos:
T: Ave-Maria…
L1: A segunda dor foi ter que fugir para o Egito com José e o Menino Jesus para se livrar da perseguição de Herodes. Por essa dor, Rezemos:
T: Ave-Maria…
L2:Aterceira dor, foi a perda de Jesus em Jerusalém, aos onze anos. Após três dias de aflição, ela encontra seu Filho no Templo ensinando os doutores da Lei. Por essa dor, rezemos:
T: Ave-Maria…
L3: Na quarta dor, Maria viveu os tormentos da Paixão de seu Filho no caminho do Calvário. Ela vê o sofrimento de Jesus ensanguentado, esbofeteado, escarrado, coroado de espinhos e flagelado. Que mãe poderia aguentar tamanha dor?
Por tão grande aflição, rezemos:
T: Ave-Maria…
L4:Maria viu seu Filho ser crucificado, viu o sangue jorrar de suas mãos e pés e a cruz ser levantada. Nesta quinta dor, ela participou da agonia indescritível de seu amado Filho, até a morte. Foi o golpe mais cruel e mais profundo da espada predita por Simeão. Maria assistiu a toda malvadeza humana contra Jesus. Por tamanha dor, rezemos:
T: Ave-Maria…
L1: Na sexta dor, Maria recebe em seus braços seu filho já sem vida, que foi descido da cruz por Nicodemos e José de Arimatéia. Foi o preço do perdão e da salvação que Maria contemplava agora em seus braços. Por essa dor rezemos :
T: Ave-Maria…
L2: A sétima dor foi a solidão de Maria que deixou no túmulo o seu folho amado. Maria, como Jesus, bebeu até a ultima gota do cálice e repetia com Jesus: “Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem”. Rezemos por essa dor:
T: Ave-Maria…
  1. Quantas mães hoje estão preocupadas com a vida dos seus filhos assinaladas pelas drogas, violência e miséria! Queremos neste momento entregar nas mãos de Jesus, todas as mães sofridas, cuja vida dos filhos enche-lhes o coração de tristeza e dor.

Canto : Santa Mãe Maria
L3: Chegando ao Calvário, os soldados tiraram tudo o que restava de Jesus, inclusive a túnica que foi tecida por sua Mãe.
T: Para muitas pessoas, a sociedade tirou-lhes tudo: os sonhos, a liberdade e a dignidade. Tornaram-se totalmente manipuladas e dependentes dos outros.
L4:Com fortes marteladas, cravos foram atravessados na carne dos punhos de Jesus para ficarem presos na madeira da cruz. Depois de transpassarem suas mãos e seus pés, Ele foi elevado entre o céu e a terra, para atrair os olhares de todos.
T: Hoje, muitas pessoas são pregadas em suas cruzes. São cruzes como a fome, abandono, o frio, a doença, a ignorância, o desprezo e a violência. Por diversas razões, na maioria das vezes, não nos deixamos mover pelo amor e não caminhamos ao encontro delas.
L1:Às três horas da tarde Jesus entrega seu Espírito. A cruz, que era instrumento de condenação, agora é símbolo de salvação, de vida, libertação e vitória.
T: Jesus, você derramou seu sangue na cruz para nos dar uma vida nova. Seu amor supera todos os obstáculos e nem a morte pode destruí-lo. Olha para nós com seu olhar  amor.

Canto: Um certo Galileu
Um certo dia, a beira mar, apareceu um jovem Galileu. Ninguém podia imaginar, que alguém pudesse amar do jeito que ele amava./ Seu jeito simples de conversar, tocava o coração de quem o escutava.
E seu nome era Jesus de NazaréSua fama se espalhou e todos vinham verO fenômeno do jovem pregadorQue tinha tanto amor
Naquelas praias, naquele mar, naquele rio, em casa de Zaqueu. Naquela estrada, naquele sol, e o povo a escutar histórias tão bonitas. Seu jeito amigo de se expressar enchia o coração de paz tão infinita.
Em plena rua, naquele chão, naquele poço e em casa de Simão. Naquela relva, no entardecer, o mundo viu nascer a paz de uma esperança. Seu jeito puro de perdoar fazia o coração voltar a ser criança .
Um certo dia, ao tribunal, alguém levou o jovem Galileu. Ninguém sabia qual foi o mal, e o crime que ele fez; foram seus pecados. Seu jeito honesto de denunciar, mexeu na posição de alguns privilegiados. E mataram a Jesus de Nazaré, e no meio de ladrões puseram sua cruz,
Mas o mundo ainda tem medo  de Jesus, que tinha tanto amor.
D.O amor venceu. A vida venceu a morte. Jesus ressuscitou verdadeiramente e está no meio de nós. Porque Ele vive, essa ressurreição deverá acontecer diariamente em nossa vida.
T: Abre-nos o nosso Sagrado Coração, ó Jesus. Cria em nós um coração novo e novo espírito, para vivermos um relacionamento de profundo amor com Deus e com todas as c pessoas que passam pelo nosso caminho.
L2: O amor que Cristo nos ensina é aquele dedicado ao irmão, sem interesse, sem esperar receber nada em troca e que procura promover a pessoa do outro. A lição que Jesus nos traz na sua cruz, não é um sentimento, mas é grande força de vida, de dignidade e de esperança.
T: Se vivermos no amor de Jesus e no amor ao próximo, estaremos no melhor caminho para o nosso bem, realização e felicidade. Queremos, então, viver numa profunda amizade com Deus para termos a sabedoria, que procede de seus ensinamentos, para levar-nos à santidade na vida cristã de cada dia.
  1. Rezemos para que o Senhor nos dê um coração fraterno e uma atitude generosa para ajudar, acolher e amar o próximo como Ele nos ensinou;
T: Pai- Nosso…
  1. Diversos são os caminhos que nos levam a Deus, mas, o melhor para se obter dele qualquer graça, é a oração, principalmente a oração de agradecimento. A oração de agradecimento é a chave que abre os tesouros divinos. Por isso, vamos agradecer a Ele, por sua grande bondade.
L3: Pelo dom precioso da vida, obra da criação de Deus, rezemos:
  1. Obrigado Senhor!
L4:Pelos nossos pais, que se doam com amor pelo nosso bem-estar, pelas famílias e pelos nossos amigos, rezemos:
  1. Obrigado Senhor!
L1. Pela nossa catequese, pelas catequistas e pela comunidade que nos acolhe, rezemos:
  1. Obrigado Senhor!
L2:Por toda a natureza, pelos mares, rios e oceanos, presentes de Deus para a humanidade, rezemos:
  1. Obrigado Senhor!
  2. Jesus, morrendo na cruz, nos trouxe a vida. Seu sangue nos purifica e a sua ressurreição nos aumenta a esperança. Não podemos ficar indiferentes a tanto sofrimento que Jesus passou, e tudo por amor. Vamos, agora, olhar profundamente para a cruz de Jesus. Ela está aqui, presente na Eucaristia, vivo e ressuscitado.
 ( Momento em Silêncio).
Canto: Noites Traiçoeiras
( se não souber cantar pode ser lido todos juntos)
Jesus está  aqui neste momento
Sua presença é real em meu viver
Entregue sua vida, seus  problemas.
Fale com Deus. Ele vai ajudar você.
Deus te trouxe aqui
Para aliviar os teus sofrimentos;
É Ele o autor da fé,
Do princípio ao fim de todos teus tormentos.
E ainda se vier noites traiçoeirasSe a cruz pesada for, Cristo estará contigo.O mundo pode fazer você chorarMas Deus te quer sorrindo (bis)
Seja qual for o seu problema
Fale com Deus, Ele vai ajudar você.
Após a dor vem a alegria
Deus é amor, não te deixará sofrer.
  1. Senhor, sabemos que compreendes o que sentimos, porque conheces o nosso coração e nossos sentimentos. Te agradecemos porque o Senhor se humilhou, tornou-se humano e morreu na cruz por nossos pecados. Mas, ao ressuscitar, venceu a morte e nos deu vida nova, restaurando em nós a beleza divina que havíamos perdido. Por isso, te pedimos, Jesus: abençoe nossa vida, nossa família, nossa catequese e nosso trabalho. Acalma nosso coração e nos dê a sua paz. Sabemos que esse é um momento especial, então, pedimos especialmente ( pausa, faça seu pedido em silêncio)
Pedimos com fé, porque o Senhor mesmo disse: “Pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja perfeita” (Jo 16,4).
Diante das dificuldades enfrentadas em nosso dia-a-dia, queremos dizer como Santa Tereza: “nada te perturbe, nada te espante, tudo passa. Deus não muda. A paciência tudo alcança. quem a Deusnada faltará. Só Deus basta.”

Canto: Quão grande és Tu
Senhor meu Deus, quando eu maravilhado
Fico a pensar nas obras de Tuas mãos
No céu azul de estrelas pontilhado
O Teu poder, mostrando a criação
Então minh’alma canta a Ti, Senhor
Quão grande és Tu!Quão grande és Tu!
Quando eu medito em seu amor tão grande
Teu filho dando ao mundo pra salvar
Na cruz vertendo o seu precioso sangue
Minh’alma pode assim purificar
E quando em fim Jesus vier em glória
Ao lar celeste então nos transportar
Te adorarei prostrado e para sempre
Quão grande és Tu!Meu Deus hei de cantar.
( Ao terminar sair em silêncio).

Fonte:http://misericordia.org.br/marianos/vocacional/oracoes-vocacionais/hora-santa-para-criancas-e-adolescentes/